Agricultura Familiar e Sustentabilidade

Autores

  • Ionara Cristina Albani Universidade Federal do Rio Grande - FURG e Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia - IFRS
  • Cláudia da Silva Cousin Universidade Federal do Rio Grande - FURG
  • Ivo Dickmann UNOCHAPECÓ

DOI:

https://doi.org/10.14295/ambeduc.v27i1.13482

Palavras-chave:

Educação Ambiental. Agricultura Familiar. Sustentabilidade. Movimentos Sociais. FETRAF-SUL/CUT.

Resumo

Este artigo é constituído pelo Estado da Questão sobre a Agricultura Familiar, realizado para fundamentar uma pesquisa de doutorado. O Estado da Questão tem como objetivo mapear ou fazer um levantamento sobre a produção acadêmica em determinado campo do conhecimento, relacionando com o fenômeno de pesquisa. Assim, o artigo discute a Agricultura Familiar, trazendo aspectos sociais, econômicos, políticos, culturais e ambientais relevantes em relação à sustentabilidade. Aborda o conceito, os desafios, as perspectivas e as diferenças daquela categoria social em relação ao Agronegócio. Ressalta a importância dos Movimentos Sociais na representação da categoria da Agricultura Familiar. Os resultados deste trabalho apontam que a Agricultura Familiar fomenta a sustentabilidade e para sustentar e fortalecer esta, precisa estabelecer parcerias com outros setores da sociedade que lutam pela transformação social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ionara Cristina Albani, Universidade Federal do Rio Grande - FURG e Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia - IFRS

Doutora em Educação Ambiental pela Universidade Federal do Rio Grande - FURG, na linha de pesquisa Educação Ambiental: Ensino e Formação de Educadores, com doutorado sanduíche realizado na Universidade Pablo de Olavide - UPO, na Espanha (outubro de 2018 a junho de 2019). Mestre em Educação Ambiental pela Universidade Federal do Rio Grande - FURG (2015), na linha de pesquisa Educação Ambiental: Ensino e Formação de Educadores. Pós Graduada-Latu Sensu em Desenvolvimento Regional pela Faculdade Meridional de Passo Fundo - IMED (2009). Licenciada em Pedagogia Anos Iniciais: crianças, jovens e adultos pela Universidade Estadual do Rio Grande do Sul - UERGS (2006). Pesquisadora dos Grupos de Pesquisa: Comunidade Aprendente em Educação Ambiental, Ciências e Matemática - CEAMECIM e Ciranda Interdisciplinar de Pesquisa em Educação e Ambiente - CIPEA. Tem experiência e desenvolve pesquisa em Educação Ambiental, Educação Popular, Educação do Campo e Movimentos Sociais, trabalhando com o tema Formação de Educadores. Miltlitou/milita em movimentos sociais ligados à Agricultura Familiar, mais especificamente direcionados a jovens. É Técnica em Assuntos Educacionais do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - IFRS, Campus Rio Grande.

Cláudia da Silva Cousin, Universidade Federal do Rio Grande - FURG

Doutora em Educação Ambiental pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Ambiental da Universidade Federal do Rio Grande - FURG na linha de pesquisa Educação Ambiental: Ensino e Formação de Educadores (2010 - Bolsista CAPES); Mestre em Educação Ambiental pela FURG (2004); Especialista em Desenvolvimento e Gerenciamento de Sistemas de Informação em Ciência e Tecnologia pela FURG (2001) e graduada em Geografia - Licenciatura Plena pela FURG (1995). Professora Associada II e Pesquisadora do Instituto de Educação da FURG. Líder do Grupo de Pesquisa Ciranda Interdisciplinar de Pesquisa em Educação e Ambiente (CIPEA/FURG), devidamente certificado pelo CNPq. Pesquisadora do Grupo de Pesquisa Comunidade Aprendente em Educação Ambiental, Ciências e Matemática (CEAMECIM/FURG) e Coordenadora do Laboratório de Pesquisa e Ensino de Geografia (LAPEG/FURG). Integra a Rede Sul Americana de Educação Ambiental - REASUL. Docente do Programa de Pós-graduação em Educação Ambiental - PPGEA e do curso de Licenciatura em Geografia. Tem experiência e desenvolve pesquisas nas área da Educação Ambiental e no Ensino de Geografia, com os seguintes temas: Formação de Professores, Educação Ambiental, Estágios Curriculares Supervisionados, Ensino de Geografia e Pertencimento. Foi coordenadora do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação a Docência - PIBID do curso de Geografia - Licenciatura da FURG (2011 - 2020/CAPES), coordenadora adjunta do PPGEA ( Foi avaliadora ad hoc do GT 22 - Educação Ambiental da ANPED Possui acordo de cooperação com a Universidad Pablo de Olavide - UPO (Sevilla - Espanha), Universidad Pedagógica Nacional - UPN (Bogotá - Colômbia).

Ivo Dickmann, UNOCHAPECÓ

Professor Titular do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde - Unochapecó. Pós-doutor em Educação (Uninove). Doutor e Mestre em Educação pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Bacharel em Filosofia pelo Instituto Superior de Filosofia Berthier (IFIBE). Principal foco de atuação e pesquisa: Educação Crítica Freiriana, Educação Ambiental e Ecopedagogia (Pedagogia do Meio Ambiente Oprimido) e Universidades Comunitárias. Líder do Palavração - Grupo de Pesquisa em Educação, cadastrado no CNPq. Entre as principais obras publicadas estão artigos em revistas científicas e os livros: Primeiras Palavras em Paulo Freire (2008; 2016; 2019), Educação Ambiental na América Latina (2018), 365 dias com Paulo Freire (2019), Paulo Freire: método e didática (2020), Pedagogia do Ser Mais (2020), Educação Ambiental Crítica (2020), Educação Ambiental Freiriana (2021).

Referências

ALMEIDA, Joaquim Anécio de Jesus; SOUZA, Marcelino de. Multifuncionalidade dos espaços rural e urbano: reflexões iniciais. In: VELA, Hugo (org.). Agricultura familiar e desenvolvimento sustentável no MERCOSUL. Santa Maria: UFSM, 2003. p. 195-214.

AQUINO, Joacir Rufino; SCHNEIDER, Sérgio. 12 Anos da política de crédito do PRONAF no Brasil (1996- 2008): uma reflexão crítica. Revista de Extensão e Estudos Rurais, Viçosa, v. 1, p. 309-347, 2011.

ASSIS, Renato Linhares de; ROMEIRO, Ademar Ribeiro. Agroecologia e agricultura orgânica: controvérsias e tendências. Desenvolvimento e meio ambiente, Curitiba, n. 6, p. 67-80, jul./dez. 2002. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/made/article/view/22129/14493. Acesso em: 27 mar. 2019.

BAIARDI, Amilcar; ALENCAR, Cristina Maria Macêdo de. A agricultura familiar, seu interesse acadêmico, sua lógica constitutiva e sua resiliência no Brasil. RESR, São Paulo, v. 52, supl. 1, p. 45-62, 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20032014000600003. Acesso em: 5 fev. 2020.

CASTRO, Luís Felipe Perdigão de. Agricultura familiar: perspectivas e desafios para o desenvolvimento rural sustentável. Revista Espaço Acadêmico, Maringá, ano XVII, n. 192, p. 142-154, 2017. Disponível em: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/EspacoAcademico/article/view/33103. Acesso em: 5 fev. 2020.

CONTI, Irio Luiz; PIES, Marcelino; CECCONELLO, Rene (orgs.). Agricultura familiar: caminhos e transições. Passo Fundo: IFIBE, 2006.

FEDERAÇÃO DOS TRABALHADORES NA AGRICULTURA FAMILIAR DA REGIÃO SUL – FETRAF-SUL/CUT. Consórcio Social da Juventude Rural: Sementes na Terra. Módulos I e II. Chapecó, SC: [s.n.], 2007.

GUANZIROLI, Carlos Henrique; BUAINAIN, Antonio Marcos; DI SABBATO, Alberto. Dez anos de evolução da Agricultura Familiar no Brasil: (1996 e 2006). RESR, São Paulo, v. 50, n 2, p. 351-370, 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20032012000200009. Acesso em: 12 out. 2019.

KAMIMURA, Arlindo; OLIVEIRA, Aline de; BURANI, Geraldo. A agricultura familiar no Brasil: um retrato de desequilíbrio regional. Interações, Campo Grande, v. 11, n. 2, p. 217-223, 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1518-70122010000200010. Acesso em: 28 jan. 2020.

KARNOPP, Erica; OLIVEIRA, Victor da Silva. Agronegócio e agricultura familiar: reflexões sobre sistemas produtivos do espaço agrário brasileiro. REDES – Rev. Des. Regional, Santa Cruz do Sul-RS, v. 17, n. 2, p. 215-228, 2012. Disponível em: https://online.unisc.br/seer/index.php/redes/article/view/2712. Acesso em: 12 abr. 2019.

LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo; TOZONI-REIS, Marília Freitas de Campos. Teoria social crítica e pedagogia histórico-crítica: contribuições à educação ambiental. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, Rio Grande, Edição Especial, p. 68-82, jul. 2016. Disponível em: https://www.seer.furg.br/remea/article/view/5960. Acesso em: 25 set. 2019.

NIEDERLE, Paulo André; FIALHO, Marco Antônio Verardi; CONTERATO, Marcelo Antônio. A pesquisa sobre agricultura familiar no Brasil – aprendizagens, esquecimentos e novidades. RESR, São Paulo, v. 52, supl. 1, p. 09-24, 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20032014000600001. Acesso em: 23 jan. 2020.

NÓBREGA-THERRIEN, Sílvia Maria; THERRIEN, Jacques. Os trabalhos científicos e o estado da questão: reflexões teórico-metodológicas. In: FARIAS, Isabel Maria Sabino; NÓBREGA-THERRIEN, Sílvia Maria; NUNES, João Batista Carvalho (orgs.). Pesquisa científica para iniciantes: caminhando no labirinto. Ceará: EdUECE, 2011.

PICOLOTTO, Everton Lazzaretti. Reconhecimento da agricultura familiar e as disputas pela classe média rural. Revista Espaço Acadêmico, Maringá-PR, ano. XI, n. 128, p. 158-167, ISSN 1519.6186, 2012. Disponível em: periodicos.uem.br/ojs/index.php/EspacoAcademico/article/view/13559. Acesso em: 5 fev. 2019.

PICOLOTTO, Everton Lazzaretti. Os atores da construção da categoria agricultura familiar no Brasil. RESR, São Paulo, v. 52, supl. 1, p. 63-84, 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20032014000600004. Acesso em: 5 fev. 2019.

PICOLOTTO, Everton Lazzaretti; BRANDENBURG, Alfio. Uma grande oportunidade: sindicalismo e seus projetos de ecologização na agricultura familiar. Ambiente & Sociedade, São Paulo, v. 18, n. 3, ISSN 1809-4422, p. 1-18, 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-753X2015000300002&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 28 jan. 2020.

RÖDER, Elisângela dos Santos Faustino; SILVA, Edna Lucia da. Agricultura familiar e as teses de doutorado no Brasil. Transinformação, Campinas, v. 25, n. 2, ISSN 2318-0889, p. 111-126, 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S010337862013000200002&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 28 jan. 2020.

SILVA, Vilmar da. A agricultura familiar e o desenvolvimento rural no Brasil. Revista Espaço Acadêmico, Maringá, Ano XIII, n. 143, p. 70-78, 2013. Disponível em: http://www.periodicos.uem.br/ojs/index.php/EspacoAcademico/article/view/19848. Acesso em: 25 de nov. 2019.

STEDING, Adriana; CARNIATO, Irene. Educação Ambiental aliada à tecnologia da informação na agricultura familiar. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, Rio Grande, v. 34, n. 2, ISSN-1517 1256, p. 76-96, 2017. Disponível em: https://www.seer.furg.br/remea/article/view/6968. Acesso em: 28 jan. 2020.

TEDESCO, João Carlos (org.). Agricultura Familiar: realidades e perspectivas. 3. ed. Passo Fundo: UPF, 2001.

WANDERLEY, Maria de Nazareth Baudel. Raízes históricas do campesinato brasileiro. In: TEDESCO, João Carlos (org.). Agricultura Familiar: realidades e perspectivas. Passo Fundo, RS: UPF, 2001.

Downloads

Publicado

2022-08-03

Como Citar

Albani, I. C., da Silva Cousin, C., & Dickmann, I. (2022). Agricultura Familiar e Sustentabilidade. Ambiente &Amp; Educação, 27(1), 1–27. https://doi.org/10.14295/ambeduc.v27i1.13482