a Educação ambiental na escola do/no campo numa perspectiva da interculturalidade crítica

Autores

  • Raquel Ramos Instituto Federal Mato Grosso
  • SENRA Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso - IFMT - Campus São Vicente - Centro de Referência de Jaciara.
  • VERGES Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Caxias do Sul.

Palavras-chave:

educação ambiental, educação do/no campo, mudança climática, justiça ambiental

Resumo

À luz da Educação Ambiental Crítica, buscou-se um diálogo entre a Interculturalidade Crítica na Educação do/no Campo, com ênfase nas Mudanças Climáticas, a fim de descortinar as Injustiças Climáticas. Trata-se de um artigo original, parte da dissertação de Mestrado em andamento. Para este artigo objetivou-se apresentar subsídios teóricos que possibilitaram analisar o conteúdo didático do caderno do 2º Ano do Ensino Médio no Ensino Remoto, no Estado de Mato Grosso, no intuito de observar como a Secretaria de Educação trata das questões referentes à Mudança Climática. Metodologicamente é uma pesquisa qualitativa, com estudo de caso, amparada pelos conceitos da Modernidade/Colonialidade (QUIJANO, 2005), Educação Ambiental Crítica (SATO, 2014), Interculturalidade Crítica (WALSH e CANDAU, 2009 e 2010), Justiça Climática (MEDEIRO e SENRA, 2018) e Educação do/no Campo (CALDART, 2020). O lócus da pesquisa é a Escola Estadual do Campo São José, localizada no Distrito da Água Fria, a 30 quilômetros de Chapada dos Guimarães e a 80 Quilômetros de Cuiabá, Capital de Mato Grosso. A escola atende a cerca de 700 alunos, na sede e nas cinco salas anexas, num total de 24 comunidades. É rica em diversidade ambiental e cultural, centro de inúmeras injustiças socioambientais e de vulnerabilizações sociais. Ao adotar os conceitos bases epistemológicas da pesquisa, pretendeu-se um teor político/crítico. Percebeu-se que a escola está, de comum acordo com a comunidade, em luta e resistência, seguros da diferença que há entre a Agricultura do Agronegócio e a Agricultura Camponesa, garantindo a finalidade da Educação na Escola do/no Campo, que é a capacidade de estabelecer vínculo entre o projeto educativo e a emergência da construção e consolidação da agroecologia conectada com a base camponesa, agroecologia, agricultura camponesa.

 

Palavras-Chave: Educação Ambiental, Educação do/no Campo, Mudança Climática, Justiça Ambiental

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

SENRA, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso - IFMT - Campus São Vicente - Centro de Referência de Jaciara.

Possui graduação em pedagogia pelo Instituto de Educação-UFMT (2007), Mestrado e Doutorado em Educação - PPGE/UFMT (2009 E 2014). Pós-doutorado com bolsa PNPD/CAPES, na linha de pesquisa Diversidade Cultural e Educação Indígena pelo Programa de Pós-graduação em Educação-PPGE da Universidade Católica Dom Bosco-UCDB. Docente permanente do Programa de Pós-graduação em Ensino - PPGen-IFMT, atuando na linha pesquisa de: "Fundamentos Teóricos e Metodológicos da Educação Escolar". Pesquisador do Grupo Pesquisador em Educação Ambiental, Comunicação e Arte - GPEA/UFMT, Líder do Grupo de Estudos em Educação Ambiental e Educação Campesina - GEAC/PPGen/IFMT.

VERGES, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Caxias do Sul.

João Vitor Gobis Verges Doutor em Geografia - FCT/ UNESP - SP.  Doutor em Ciências do Ambiente - Universidade de Lisboa (ULISBOA). Docente E.B.T.T - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Caxias do Sul.

Referências

ACSELRAD, Henri. Ambientalização das lutas sociais - o caso do movimento por justiça ambiental. Estudos avançados. Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro – RJ. 24 (68), 2010.

ALTIERI, Miguel A. NICHOLLS, Clara Inés. A Agroecologia em tempos de COVID-19. Associação Brasileira de Agroecologia. 2020. Disponível em: https://aba-agroecologia.org.br/a-agroecologia-em-tempos-de-covid-19/. Acesso em: 01 fev. 2021.

ALTIERI, Miguel A. NICHOLLS, Clara Inés. A Agroecologia nos tempos do COVID-19. CLACSO – Conselho Latino-americano de Ciências Sociais - Pensar La Pandemia: Observatorio Social Del Coronavirus. Abril 2020. Disponível em: https://www.clacso.org/. Acesso em: 28 de set. 2020.

ALVES-MAZZOTTI, A. J. Usos e abusos dos estudos de caso. Cadernos de Pesquisa (online), v.36, n. 129, p. 637-51, 2006.

BERTIER, Flavia Lopes. DEVANEIOS DA FOGUEIRA: Os saberes populares associados ao fogo atiçam diálogos de Educação Ambiental sobre incêndios florestais, crise climática e Bem Viver / Flavia Lopes Bertier. 2020. 79 f.

CALDART, Roseli Salete. A FUNÇÃO SOCIAL DAS ESCOLAS DO CAMPO. TV FONEC. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=oOr53f4LvjU. Acesso em 22 ago. 2020.

CALDART, Roseli Salete. Sobre Educação do Campo. Educação do Campo: campo - políticas públicas – educação / Bernardo Mançano Fernandes ... [et al.] ; organizadora, Clarice Aparecida dos Santos. -- Brasília: Incra; MDA, 2008. 109 p. (NEAD Especial ; 10).

CALDART. Roseli Salete. Educação Ambiental Campesina. UFMT & MST. Novembro 2015. GPEA-UFMT. Disponível em: http://gpeaufmt.blogspot.com.br. Acesso em. 16 out. 2020.

CALDART, Roseli Salete. Função social das escolas do campo e desafios educacionais do nosso tempo. Aula Inaugural do semestre do curso de Licenciatura em Educação do Campo. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Campus Litoral. 9 mar. 2020.

CANDAU, Vera Maria Ferrão. ILIVEIRA, Luiz Fernandes de. Pedagogia Decolonial e Educação Antirracista e Intercultural no Brasil. Educação em Revista. Belo Horizonte. V.26 n.01 p.15-40. Abr. 2010.

CÁSSIO, Fernando. Educação contra a barbárie: por escolas democráticas e pela liberdade de ensinar. Alessandro Mariano... [et al.]; Organização Fernando Cássio; prólogo de Fernando Haddad. 1 ed. São Paulo: Boitempo, 2019.

FREIRE, Paulo, 1921 – F934i A importância do ato de ler: em três artigos que se completam / Paulo Freire. – São Paulo: Autores Associados: Cortez, 1989.

GPEA. Grupo Pesquisador em Educação Ambiental, Comunicação e Arte. Blog. Disponível em: https://gpeaufmt.blogspot.com/. Acesso em: 26 ago. 2020.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social - 6. ed. - São Paulo: Atlas, 2008.

KAZÉ, Maria. Agricultura Familiar para o Brasil não passar fome. TV FONEC. Ago. 2020. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=NrPkT0Ceitw&t=445s. Acesso em: 15 set. 2020.

MATO GROSSO. Secretaria de Estado de Educação. Secretaria Adjunta de Políticas Educacionais. Projeto Político Pedagógico - PPP – Escola Estadual do Campo São José. Distrito da Água Fria. 2019.

MATO GROSSO. Secretaria de Estado de Educação - SEDUC. Aprendizagem Conectada. Disponível em: http://www.aprendizagemconectada.mt.gov.br/campo-ens-med-agosto. Acessado em: 21 ago. 2020.

MEDEIROS, Heitor Queiroz de. SENRA, Ronaldo E. Feitoza. Educação Ambiental Campesina: justiça climática em territórios matogrossenses. IV Seminário Internacional Resclima e no 2º Encontro da Rede de Pesquisadores em Educação Ambiental e Justiça Climática – REAJA. Santiago de Compostela-Espanha. 2018.

MÉSZÁROS, István. 1930. A Educação para além do Capital. [Tradução Isa Tavares]. - 2. ed. - São Paulo: Boitempo. 2008. - (Mundo do Trabalho). ISBN 978-85-7559-068-3.

MOLINA, Mônica. Os desafios na formação de educadores. TV FONEC. Canal Youtube (79 min). Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=7XoutXTFAiQ&t=1489s. Acesso em: 25 ago. 2020.

MONTEIRO, Simone Rocha da Rocha Pires. O Marco Conceitual da Vulnerabilidade Social. Sociedade em Debate, Pelotas, 17(2): 29-40, jul.-dez./2011.

QUIJANO, Anibal. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. En libro: A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. Edgardo Lander (org). Colección Sur Sur, CLACSO, Ciudad Autónoma de Buenos Aires, Argentina. Set 2005. pp.227-278.

REAJA, Rede Rede de Pesquisadores em Educação Ambiental e Justiça Climática. 2014. Blog. Disponível em: https://gpeaufmt.blogspot.com/p/reaja_31.html. Acesso em: 26 ago. 2019.

SAM 2020. Semana de Ação Mundial. A Campanha Nacional pelo Direito à Educação. Andressa Pellanda. Coordenadora da Campanha. Educação contra a Barbárie: por Escolas Democráticas e pela Liberdade de Ensinar. Jul. 2020 Fernando Cássio. Daniel Cara. Ana Julia Ribeiro. Carlos Alberto Caetano. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=E69tV8Geh6U. Acesso em: jul. 2020.

SATO, Michèle. Projeto de Pesquisa: Justiça Climática e Educação Ambiental. Programa de Pósgraduação em Educação - PPGE/UFMT/GPEA. Chamada Universal CNPq nº14. 2014. Disponível em: https://gpeaufmt.blogspot.com/p/reaja_31.html. Acesso em: 13 mai. 2019.

SATO, Michèle. Educação Ambiental: tessituras de esperanças. Michèle Sato, Regina Silva, Michelle Jaber. Cuiabá: Editora Sustentável, EdUFMT, 2018.

SATO, Michèle. Grupo Pesquisador em Educação Ambiental, Comunicação e Arte (GPEA). In: Programa de Pós-Graduação em Educação (Org.) Mostra de Posteres dos Grupos de Pesquisa. Cuiabá: PPGE-UFMT, 2019 [poster].

SENRA, R. E. F. Por uma contrapedagogia libertadora no ambiente do Quilombo Mata Cavalo. 2009, 137f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, MT.

WALSH, Catherine. Interculturalidade Crítica e Pedagogia Decolonial: in-surgir, re-existir e reviver. Educação Intercultural na América Latina: entre concepções, tensões e propostas. Vera Maria Candau (org). 2009.

Downloads

Publicado

2022-05-04

Como Citar

Ramos, R., Eustáquio Feitoza Senra, R. ., & Vitor Gobis Verges, J. (2022). a Educação ambiental na escola do/no campo numa perspectiva da interculturalidade crítica. Ambiente &Amp; Educação, 26(2), 246–266. Recuperado de https://seer.furg.br/ambeduc/article/view/12795