Educación ambiental crítica y agroecología en la formaciín de profesores/as de escuelas públicas de Juiz de Fora, MG, Brasil

Autores

  • Olga Alicia Gallardo Milanés Universidad de Holguín http://orcid.org/0000-0003-2502-276X
  • Ángelica Consenza Rodrigues Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Camila Neves Silva Universidade Federal de Juiz de Fora

Palavras-chave:

formação, educação ambiental crítica, agroecologia, horta escolar

Resumo

O artigo aborda a formação de professores/as por meio da educação ambiental crítica, baseada na agroecologia, como um processo de aprendizagem construído sobre uma dinâmica de interação entre sujeitos, geração de saberes e transformação. A pesquisa foi realizada sob uma perspectiva qualitativa, assim foram trianguladas as informações coletadas por meio de entrevistas, observação participante e caderno de campo, com o objetivo de analisar a contribuição da educação ambiental crítica baseada na agroecologia para a formação de professores/as que trabalham com a horta escolar. O estudo revelou que o contato com os agricultores/as e suas práticas agroecológicas contribuiu para que os professores/as que participaram incorporassem novos saberes, transformando as hortas escolares em um espaço pedagógico crítico e contra- hegemônico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Olga Alicia Gallardo Milanés, Universidad de Holguín

Doctora en ciencias pedagógicas, profesora e investigadora titular del Departamento de Desarrollo Local de la Universidad de Holguín. Profesora visitante del PPGE de la Universidade Federal de Juiz de Fora, MG, Brasil

Ángelica Consenza Rodrigues, Universidade Federal de Juiz de Fora

Doutora em Educação, professora da Faculdade de Educação da Universidade de Juiz de Fora e do PPGE. Coordenadora do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação Ambiental (GEA).

Camila Neves Silva, Universidade Federal de Juiz de Fora

Mestre em Ecologia, professora da Universidade Federal de Juiz de Fora, MG. Doutoranda do PPGE da Faculdade de Educação da UFJF.

Referências

AIRES, B; SUANNO, J. A Educação Ambiental numa perspectiva transdisciplinar: uma articulação entre a Educação Superior e a Educação Básica. Revista eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, FURG-RS, v.34, n.2, p. 42-56, maio/ago. ,2017.

ALTIERE, Miguel. Agroecologia: A dinâmica da agricultura sustentável. Porto Alegre: Editora UFRGS, 2004.

ARAÚJO, Ulisses. Temas transversais, pedagogia de projetos e as mudanças na educação. São Paulo: Summus, 2014.

ARAÚJO, Jaqueline; FERRAZ, Mariana; SPOLAOR, Fernanda; COSENZA, Angélica. Mapeando as hortas escolares na rede pública estadual de Juiz de Fora, MG. In: Anais do IX Encontro Nacional Pesquisa em Educação Ambiental. UFJF, 2017. Disponível em: http://epea.tmp.br/epea2017_anais/pdfs/plenary/0195.pdf

BOFF, Leonardo. Sustentabilidade. O que é- O que não é. 2 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

BOZZANO, Horacio. Territorios posibles. Procesos, lugares y actores. 3ra ed. Buenos Aires: Lumiere, 2017.

CASIMIRO, Leidy. Necesidad de una transición agroecológica en Cuba, perspectivas y retos. Revista Pastos y Forraje, Habana,v.39, n.3, p.81-91, 2016.

CORRÊA, Luciara; SILVA, Maria Dilene. Educação ambiental e a permacultura na escola. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, FURG-RS v. 33, n.2, p. 90-105, maio/ago. ,2016.

COSTA, Cesar Augusto; LOUREIRO, Carlos Federico. Educação ambiental crítica e interdisciplinaridade: a contribuição da dialética materialista na determinação conceitual. Trabalho apresentado no VII Encontro de Pesquisa em Educação Ambiental/EPEA na cidade de Rio Claro/SP , v.3, n.1, Jan./Jun., 2013, p. 1–22, 2013.

COSTABEBER, José Antônio; CAPORAL, Francisco Roberto. Possibilidades e alternativas do desenvolvimento rural sustentável. Em: Agricultura familiar y desenvolvimento sustentável no Mercosul. Santa Maria: Editora da UFSM/Pallotti, 2003, p.157- 194.

DIAZ, Lidia. La observación. Texto de apoyo didáctico. México DF: Facultad de Psicología UNAM, 2011.

FOLADORI, Guillermo. Educación ambiental en el capitalismo. Pesquisa em Educação Ambiental, vol.13, n.1 – pags. 48-57, 2018.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimdo. 17 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

____________. Pedagogia da autonomia: saberes necessários á prática educativa. 58 ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2019.

GARRIDO, Luciana; MEIRELLES, Rosane. Educação ambiental na formação docente: um olhar sobre cursos de pedagogia. Disponível em: http://www.abrapecnet.org.br/enpec/x-enpec/anais2015/resumos/R0470-1.PDF Consultado: Janeiro 2020.

GASTON, Jesús; AGUILERA, Luis Isacc; GONZALEZ, Carlos Ernesto. Agroecología y Sustentabilidad. Revista de Ciencias Sociales, n.46, p.51-87, 2008.

GUEVARA, María de los Ángeles; WESZ, João. Género y Agroecología. Implicaciones para las relaciones de género. VIII Congresso Ibero-americano de Ciência, Tecnologia e Gênero 2010.

JACOBI, Pedro. Educação ambiental, cidadania e sustentabilidade. Cadernos de Pesquisa, n.118, p.189-205, 2003.

LANDER, Edgardo; ARCONADA, Santiago. Crisis civilizatoria. Experiencias de los gobiernos progresistas y debates en la izquierda latinoamericana. CALAS: Universidad de Guadalajara, 2019.

LAYRARGUES, Philippe; LIMA, Gustavo. As macrotendências político-pedagógicas da educação ambiental brasileira. Ambiente & Sociedade, v. XVII, n.1, p.23-40, 2014.

LEEF, Enrique. Aventuras da epistemologia ambiental: Da articulação das ciências ao dialogo de saberes. São Paulo: Cortez, 2012.

___________. A aposta pela vida: imaginação sociológica e imaginários sociais nos territórios ambientais do sul. Petrópolis RJ: Vozes, 2016.

LIMA, Paulo; BARRETO, Elvira; LIMA, Rubens. Formação docente: uma reflexão necessária. Educere et Educare. Revista de Educação, v.2, n.4, p.91-101, 2007.

LÓPEZ, Daniel. Agroecología y educación ambiental, 2008. Disponible en: https://spip.ecologistasenaccion.org/IMG/pdf_Agroecologia_y_Educacion_Ambiental.pdf Consultado: Febrero 2020.

LOUREIRO, Carlos Federico. Premissas teóricas para uma educação ambiental transformadora. Ambiente & Educação, n.8, p. 37-44, 2003.

_________________. Questões ontológicas e metodológicas da educação ambiental crítica no capitalismo contemporâneo. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental. Rio Grande v. 36, n. 1, p. 79-95, jun/abr. ,2019.

MERÇON, Juliana et al. Cultivando la educación agroecológica. El huerto colectivo urbano como espacio educativo. Revista Mexicana de Investigación Educativa, v.17, n.55, p.1201-1224, 2012.

NAJMANOVICH, Denise. Mirar con nuevos ojos. Nuevos paradigmas en la ciencia y pensamiento complejo. Buenos Aires: Biblos, 2008.

NASCIMENTO, Rodrigo; BADIRU, Ajibola; OLIVEIRA, Luiz Agberto. Proposta pedagógica interdisciplinar realizada a partir da utilização da composteira numa horta escolar urbana. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental. Rio Grande, v.35, n.2, p.4-23, 2018.

NIEVA, José Antonio; MARTÍNEZ, Orieta. Una nueva mirada sobre la formación docente. Revista Universidad y Sociedad. Cienfuegos, v. 8, n.4. p. 14-21, 2016.

NUNES, Celia Maria. Saberes docentes e formação de professores: um breve panorama da pesquisa brasileira. Educação & Sociedade, ano XXII, nº 74, p.27-42, 2001.

OLIVEIRA, Diego Luiz; et al. Horta Vertical: Um Instrumento de Educação Ambiental na Escola. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental. Ed. Especial Impressa, p.193-206, jan/jun, 2014.

PEQUENO, Maria. Formação docente e educação ambiental: por uma Pedagogia do cuidado. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 33, n. 1, p. 213-232, jan/abr, 2016.

PIMENTA, José Calisto; RODRIGUES, Keila da Silva Maciel. Projeto horta escola: ações de educação ambiental na Escola Centro Promocional Todos Os Santos de Goiânia (Go). II SEAT – Simpósio de Educação Ambiental e Transdisciplinaridade. UFG / IESA / NUPEAT - Goiânia, maio de 2011.

PORTO- GONÇALVES, Carlos Walter. Lucha por la Tierra. Lucha por la Tierra. En ALIMONDA, Hector et al. Ecología Política Latinoamericana. Pensamiento crítico, diferencia latinoamericana y rearticulación epistémica. Buenos Aires: CLACSO, 2017.

RIVERA, Alma et al. Las competencias docentes: el desafío de la Educación Superior. Innovación Educativa, v.14, n.66, p.129-146, 2014.

SANDOVAL, Carlos A. Investigación Cualitativa. Bogotá: ARFO Editores e Impresores Ltda, 2002.

SAQUET, Marcos Aurelio. Consciência de classe e de lugar, práxis e desenvolvimento territorial. 1ed. Rio de Janeiro: Consequência Editorial, 2017.

SILVA, E. C. R. Hortas escolares urbanas agroecológicas: preparando o terreno para a educação em ciências e para a educação em saúde. 2015. 246 f. Tese (Doutorado em Educação em Ciências e Saúde) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2015.

SOUSA SANTOS, Boaventura. Conocer desde el sur. Para una cultura política emancipadora. Lima: Programa de Estudios sobre Democracia y Transformación Global, 2006.

_____________. A cruel pedagogia do vírus. Coimbra: Edições Almedina, S.A. 2020.

TEROSSI, M; SANTANA, L. Educação ambiental: tendências pedagógicas, fontes epistemológicas e a pedagogia de projetos. Comunicações, v. 22, n.2, p.65-83, 2015.

VASCONCELOS, Eduardo. Complexidade e pesquisa interdisciplinar. Epistemologia e metodologia operativa. 6.ed. Petrópolis RJ: Vozes (2013).

WALSH, Catherine. Pedagogías decoloniales. Prácticas insurgentes de resistir, re (existir) y re (vivir). Quito: Abya- Yala, 2017.

Downloads

Publicado

2021-10-31

Como Citar

Gallardo Milanés, O. A., Consenza Rodrigues, Ángelica, & Neves Silva, C. (2021). Educación ambiental crítica y agroecología en la formaciín de profesores/as de escuelas públicas de Juiz de Fora, MG, Brasil. Ambiente &Amp; Educação, 26(1), 483–512. Recuperado de https://seer.furg.br/ambeduc/article/view/11373