Submissões

O cadastro no sistema e posterior acesso, por meio de login e senha, são obrigatórios para a submissão de trabalhos, bem como para acompanhar o processo editorial em curso. Acesso em uma conta existente ou Registrar uma nova conta.

Condições para submissão

Como parte do processo de submissão, os autores são obrigados a verificar a conformidade da submissão em relação a todos os itens listados a seguir. As submissões que não estiverem de acordo com as normas serão devolvidas aos autores.
  • 1. O texto deve ser original e inédito, e não ter sido submetido à avaliação de outro periódico; caso contrário, justificar em "Comentários ao Editor".
  • 2. A submissão deve conter, no máximo, 04 pessoas como autoras, das quais, pelo menos uma deve possuir o título de Doutorado.
  • 3. A identificação de autoria do texto deve ser removida do arquivo e da opção Propriedades no Word, garantindo desta forma o critério de sigilo da revista, conforme instruções disponíveis em Assegurando a Avaliação por Pares Cega.
  • 4. Por política editorial, não aceitamos a publicação de mais de um artigo do mesmo autor no período relativo a um ano (12 meses). Devido a isto, solicita-se o envio de apenas UM artigo do mesmo autor a cada ano. Caso o autor envie mais de um, consideraremos apenas o primeiro artigo enviado. No caso das edições especiais pode haver exceções.
  • 5. Os arquivos enviados na submissão devem estar em formato Microsoft Word, OpenOffice ou RTF (.doc, .docx ou .rtf).
  • 6. Sobre endogenia: Visando atender aos critérios de avaliação dos periódicos científicos adotados pelas bases indexadoras mais conceituadas, a REMEA limita-se a publicar anualmente no máximo 20% do número de artigos cujos autores sejam vinculados a FURG. Além disso, cada autor vinculado a FURG deve aguardar o intervalo de dois anos (24 meses) entre publicações. Caso o limite já tenha sido atingido, os demais artigos com autores vinculados a FURG serão rejeitados, podendo ser submetidos novamente após o período informado.
  • 7. Para submissão de artigos na REMEA, é necessário o preenchimento de todos os campos (metadados) solicitados no sistema. Artigos com campos deixados em branco correm o risco de não serem avaliados. No formulário de submissão é indispensável preencher os campos “URL” (com o link para o currículo Lattes), ORCID, “Instituição/Afiliação” (em até 3 linhas) e “Resumo da biografia” (constando a formação e titulação em até 3 linhas).
  • Como parte do processo de submissão, ficam os autores responsabilizados a verificar a conformidade da submissão em relação a todos os itens. Assim como o arquivo submetido deve estar no formato do TEMPLATE disponibilizado nas Normas gerais para publicação na REMEA . As submissões que não estiverem de acordo com as normas serão devolvidas aos autores.

Diretrizes para Autores

NORMAS GERAIS PARA PUBLICAÇÃO:

  1. Modelo de Template obrigatório para submissão do arquivo, clique aqui.
  2. O artigo INÉDITO (português ou espanhol) deve possuir entre 15 e 20 laudas e constar de título em português, espanhol e inglês, e resumo também em português, espanhol e inglês. O resumo deve ter em torno de 10 linhas ou 130 palavras, com indicação de três palavras-chave (que também devem ser apresentadas em português, espanhol e inglês), preferencialmente de um vocabulário controlado como o Thesaurus Brasileiro da Educação.
  3. A resenha crítica de livro possui entre 3 e 6 laudas e deve constar a referência completa do livro. Serão avaliadas apenas resenhas de obras que apresentem contribuições à Educação Ambiental.
  4. A elaboração dos textos em língua portuguesa, espanhola e inglesa é de inteira responsabilidade do autor.
  5. O texto deve ser configurado para papel A4, com margens superior/esquerda 3,0 cm; margens inferior/direita 2,0 cm.
  6. Fonte Calibri no corpo tamanho 12, com espaçamento entre linhas 1,5 cm. Não utilize espaçamento entre parágrafos.
  7. Nas citações longas (a partir de quatro linhas), o recuo é de 4 cm da margem esquerda, o espaçamento é simples e a fonte tamanho 10.
  8. As notas devem ter caráter unicamente explicativo e constar apenas como nota de rodapé. Não devem ser colocados em nota nenhum tipo de referência, inclusive links de páginas da internet. As notas de rodapé devem ser com fonte Calibri, tamanho 10.
  9. Os subtítulos “Introdução”, “Fundamentação”, “Metodologia”, “Resultados e discussão” e “Considerações finais” podem ser substituídos por outros equivalentes ou mais adequados à abordagem epistemológica-metodológica do trabalho. No entanto, é fundamental que independente do subtítulo, o artigo explicite a pergunta/problema, objetivos e justificativa, e inclua ao final o subtítulo “Referências”. Todos esses subtítulos devem estar em mesma fonte Calibri e tamanho 12, com negrito.
  10. Todas as citações de autores no texto devem estar de acordo com a norma da ABNT, NBR 10520/2002, exclusiva para citações.
    • Exemplo: Guimarães (1964, p. 70); (GUIMARÃES, 1964) e (GUIMARÃES, 1964, p. 71).
  11. Todas as figuras, imagens ou ilustrações inseridas no texto devem conter o título na parte superior, precedida da palavra designativa (desenho, esquema, fluxograma, fotografia, gráfico, mapa, organograma, planta, quadro, retrato, figura, imagem, entre outros), seguida de seu número de ordem de ocorrência no texto, em algarismos arábicos, travessão e do respectivo título. Após a ilustração, na parte inferior, indicar a fonte consultada (elemento obrigatório, mesmo que seja produção do próprio autor). A ilustração deve ser citada no texto e inserida o mais próximo possível do trecho a que se refere. Título em fonte Calibri, tamanho 12. Bem como a Fonte da ilustração, sendo que com tamanho 10.
  12. Todos os endereços de páginas na Internet (URLs), incluídas no texto (Ex.: http://www.ibict.br) deverão estar ativos e prontos para clicar.
  13. Registrar, nas referências, SOMENTE os autores citados no corpo do texto.
  14. As referências devem ser elaboradas em espaço simples, alinhadas à margem esquerda do texto e separadas entre si por uma linha em branco de espaço simples.
  15. Escrever o nome completo do(s) autor(es) e do(s) tradutor(es) na referência.
  16. As referências no final do texto precisam obedecer às Normas Técnicas da ABNT, NBR 6023/2018.

  Exemplos de Referências:

LIVRO

BAUMAN, Zygmunt. Globalização: as consequências humanas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1999.

GOMES, Artur Cláudio; VECHI, Carlos Alberto. Estática romântica: textos doutrinários comentados. Tradução Maria Antônia Simões Nunes, Duílio Colombini. São Paulo: Atlas, 1992. 186 p.

 

TRABALHOS ACADÊMICOS (TCC, DISSERTAÇÃO E TESE)

AGUIAR, André Andrade de. Avaliação da microbiota bucal em pacientes sob uso crônico de penicilina e benzatina. 2009. Tese (Doutorado em Cardiologia) – Faculdade de Medicina, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

 

E-BOOKS

BAVARESCO, Agemir; BARBOSA, Evandro; ETCHEVERRY, Katia Martin (org.). Projetos de filosofia. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2011. E-book. Disponível em: http ://ebooks.pucrs.br/edipucrs/projetosdeflosofa.pdf. Acesso em: 21 ago. 2011.

 

PARTE DE LIVRO/DOCUMENTO

SÃO PAULO (Estado). Secretaria do Meio Ambiente. Tratados e organizações ambientais em matéria de meio ambiente. In: SÃO PAULO (Estado). Secretaria do Meio Ambiente. Entendendo o meio ambiente. São Paulo: Secretaria do Meio Ambiente, 1999. v. 1. Disponível em: http://www.bdt.org.br/sma/ /atual.htm. Acesso em: 8 mar. 1999.

 

ARTIGO DE PERIÓDICO

TAVARES, Raul. O combate naval do Monte Santiago. Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, Rio de Janeiro, v. 155, t. 101, p. 168-203, 1953.

DANTAS, José Alves et al. Regulação da auditoria em sistemas bancários: análise do cenário internacional e fatores determinantes. Revista Contabilidade & Finanças, São Paulo, v. 25, n. 64, p. 7-18, jan./abr. 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-0002&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 20 maio 2014.

 

ANAIS

CONGRESSO INTERNACIONAL DO INES, 8.; SEMINÁRIO NACIONAL DO INES, 14., 2009, Rio de Janeiro. Anais [...]. Rio de Janeiro: Instituto Nacional de Educação de Surdos, 2009. 160 p. Tema: Múltiplos Atores e Saberes na Educação de Surdos. Inclui bibliografa.

 

LEGISLAÇÃO

RIO GRANDE DO SUL. [Constituição (1989)]. Constituição do Estado do Rio Grande do Sul. 4. ed.atual. Porto Alegre: Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul, 1995.

 

FILME/VÍDEO

BREAKING bad: the complete second season. Creator and executive produced by Vince Gilligan. Executive Producer: Mark Johnson. Washington, DC: Sony Pictures, 2009. 3 discos blu-ray (615 min)

 

FOTOGRAFIA

KOBAYASHI, K. Doença dos xavantes. 1980. 1 fotografa.

 

DOCUMENTO DE ACESSO EXCLUSIVO EM MEIO ELETRÔNICO

LAPAROTOMIA. In: WIKIPEDIA: the free encyclopedia. [San Francisco, CA: Wikimedia Foundation, 2010]. Disponível em: http://en.wikipedia.org/wiki/Laparotomia. Acesso em: 18 mar. 2010.

 

OBRAS DE AUTORIA DESCONHECIDA

ONDA de frio: reviravolta traz vento e forte chance de neve. Zero Hora, Porto Alegre, ano 47, n. 16.414, 12 ago. 2010. Disponível em: http://www.clicbs.com.br/zerohora/jsp/default.jspx?uf=1&action=fip. Acesso em: 12 ago. 2010.

_________________________________________________________________________________________

Antes do envio para os pareceristas, o artigo deverá estar em consonância com o que prescreve estas Diretrizes. As submissões que não estiverem de acordo com as normas serão rejeitadas na etapa da Triagem do Artigo.

_________________________________________________________________________________________

 

Processo de avaliação e publicação

Os artigos e resenhas submetidos passam por três fases.

A primeira consiste na Triagem do Artigo realizada pelos Editores, que examinam a adequação do trabalho à linha editorial da revista e às diretrizes de publicação, bem como a contribuição e qualidade do artigo para a revista, e o potencial de publicação. Verificamos todos os trabalhos com software anti-plágio CopySpider. Nesta etapa, a situação da submissão no sistema é “Aguardando designação”. Trabalhos considerados inadequados são rejeitados nesta etapa.

Na segunda fase, os trabalhos que estiverem de acordo com as exigências da triagem são encaminhados para a avaliação por pares às cegas. Nesta etapa, a situação da submissão no sistema é “Em avaliação”. Após o parecer dos avaliadores, a decisão final volta à Equipe Editorial. Três decisões são possíveis:

  • A submissão é aceita sem correções;
  • A submissão é rejeitada e fundamentada com parecer dos avaliadores;
  • São solicitadas correções que devem ser atendidas em determinado prazo, e serão novamente avaliadas para aceite ou rejeição definitivo.

Os trabalhos aceitos no processo de avaliação passam à terceira fase, que é a de edição. Aqui são realizados os ajustes finais da publicação.

Com o sistema duplo-cego (blind review), os nomes dos pareceristas permanecerão em sigilo, omitindo-se também destes os nomes dos autores. Portanto, ao submeter o artigo no sistema, é indispensável o anonimato de autoria. Em hipótese alguma, o(s) autor(es) pode(m) se identificar no corpo do texto. Considera-se quebra de anonimato qualquer referência explícita de autoria — citação de nome do(s) autor(es) do artigo ou referência a artigos em autoria ou em coautoria em trabalhos anteriores.

Caso necessário, o artigo aprovado será submetido a pequenas correções visando à melhoria do texto.

À REMEA, ficam reservados os direitos autorais no tocante a todos os artigos nela publicados.

No caso de artigo desclassificado em qualquer critério previsto conforme Diretrizes para Autores, o mesmo poderá ser novamente submetido à revista, caso o autor tenha interesse.

As submissões à REMEA são em fluxo contínuo.

 

Para mais informações consulte: http://www.scielo.org/local/File/Guia_AOP.pdf

Seção Especial: V Congresso Internacional de Educação Ambiental dos Países e Comunidades de Língua Portuguesa

Submissão apenas dos artigos referentes a trabalhos apresentados nos Eixos 1 e 3 no V Congresso Internacional de Educação Ambiental dos Países e Comunidades de Língua Portuguesa. Consideram-se os trabalhos enviados pela organização do evento, mediante aprovação dos pareceristas.

Seção Especial: XI EDEA - Encontro e Diálogos com a Educação Ambiental

Serão aceitas submissões apenas dos trabalhos indicados para publicação pelos pareceristas do XI EDEA. Os artigos submetidos serão avaliados pelos pareceristas da revista. As submissões encerraram em março de 2020.

Dossiê Temático Educação Ambiental/ANPED

A REMEA está com submissões abertas para o Dossiê Temático Movimentos Teóricos e Metodológicos no Grupo de Trabalho 22 Educação Ambiental da ANPED. O objetivo desse dossiê é oferecer à comunidade científica produções que evidenciem os movimentos epistemológicos e metodológicos que vem constituindo um dos espaços de fortalecimento e luta política no campo da Educação Ambiental no nosso país. Trata-se da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação que reuni, no interior do GT 22, importantes pesquisadores da EA, criando um coletivo dedicado a pensar e provocar movimento frente as questões ambientais no cenário nacional e internacional.

A reunião desses artigos para compor o dossiê permitirá sistematizar publicações dos grupos de pesquisa vinculados ao GT. E, para isso, gostaríamos de convidar os grupos de pesquisa vinculados ao GT 22 da ANPED a participar dessa empreitada, considerando a seguinte proposta de trabalho:

- Selecionar um trabalho que tenha sido apresentado e publicado nos Anais das reuniões da Anped Nacional ou das Anpeds Regionais nos últimos cinco anos. Convidar o autor para revisar o texto, fazendo significativas mudanças para que o material não seja o mesmo já publicado;

- Algum integrante do grupo ou o líder do grupo de pesquisa, individualmente ou em co-autoria escreve um artigo problematizando e situando o texto no conjunto dos trabalhos e nas linhas de pesquisa do grupo, apresentando as tendências teórico-metodológicas que vêm orientado as atividades de pesquisa do grupo, indicado e evidenciando as contribuições do grupo de pesquisa e do GT para o campo da Educação Ambiental.

- As normas a serem seguidas são as da REMEA (https://periodicos.furg.br/remea/about/submissions). O prazo para recebimento dos artigos é 30 de junho de 2021. O Dossiê será publicado em dezembro/2021.

 

Atenciosamente,

Paula Henning (FURG), Shaula Sampaio (UFF) e Luiz Marcelo Carvalho (UNESP)

Dossiê Realidades da Educação Ambiental em Universidades Latino-Americanas

ORGANIZADORAS


➢ Drª Carelia Hidalgo - Professora Visitante do PPGEA, com atuação na formação ambiental de
professores e ambientalização curricular. Instituto de Educação – IE.
➢ Drª Dione Kitzmann - Professora do PPGEA, com atuação na área de Educação na Gestão
Ambiental. Coordenadora do Curso de Tecnologia em Gestão Ambiental (TGA-RG). Instituto
de Oceanografia – IO.

 

APRESENTAÇÃO

 

Há várias décadas, os atores envolvidos com a questão ambiental vêm passando por uma grande luta
dentro das Universidades para posicionar a questão ambiental em todas as suas atividades de ensino,
pesquisa, extensão e gestão. É preciso um ato imerso numa educação crítica, inclusiva e de qualidade
para uma formação profissional que não responda a um modelo de desenvolvimento insustentável.
Mas sim, uma formação de profissionais capazes de enfrentar a crise de civilização causada por
problemas ambientais e injustiças sociais.

A humanidade precisa de profissionais com consciência ambiental, capazes de atuar com
responsabilidade em seus campos de trabalho e como cidadãos que tenham o compromisso de
superar as injustiças ambientais. As Universidades têm sido convocadas, desde a década de 1970, a
incorporar a dimensão ambiental em suas funções substantivas. No entanto, apesar dos avanços,
ainda há um longo caminho a percorrer para atender a essas aspirações.

As Universidades têm se concentrado em questões de gestão ambiental, certificações ambientais,
bem como ativismo ambiental por atores específicos em projetos de sucesso. O meio ambiente, a
sustentabilidade e temas afins estão presentes na atividade docente, nas ofertas de pós-graduação.
Em algumas outras universidades existem programas de formação específicos nestas matérias e, em
casos específicos, a oferta de uma disciplina em todos os programas de formação. No entanto, o
impacto destas iniciativas na formação dos profissionais egressos é, sem dúvida, insuficiente, como
afirmam alguns autores. Nesse cenário, é preciso reconhecer que existe um compromisso
generalizado com a sustentabilidade e o desenvolvimento sustentável em resposta às políticas
institucionais e posições políticas do governo e do setor financeiro privado.

Em geral a Educação Ambiental é pouco discutida ou praticada dentro das Universidades, estando a
mesma presente em planos de manejo, projetos específicos e programas de pós-graduação. Porém,
é preciso que a Educação Ambiental, como um campo interdisciplinar de educação transformadora,
esteja mais presente, a fim de contribuir para a constituição de profissionais críticos e
ambientalmente sensíveis. Mas como garantir isto?

Muitas teses surgem sobre esses argumentos, e este Dossiê visa gerar a discussão e respostas às
seguintes questões:


✓ Qual Educação Ambiental está sendo desenvolvida nas Universidades?
✓ Como as diferentes funções universitárias – ensino, pesquisa, extensão e gestão – dialogam
com a Educação Ambiental?

Então, em um sentido crítico, possivelmente autocrítico, como pensamos sobre a Educação
Ambiental que flui em nossas instituições? Essa crítica tem que passar por nossa própria
compreensão do meio ambiente, nossa futura aproximação com a realidade na qual estamos
inseridos, além de conversar com os autores que se dedicaram a categorizar as diferentes
abordagens da Educação Ambiental. É um diálogo com as funções de currículo, extensão, pesquisa e
gestão, que precisa avançar para transformar as realidades ambientais para um possível futuro de
bem-estar.

Com tudo isso, é um convite a pensar e discutir a Educação Ambiental presente nas instituições por
meio de um artigo crítico que dialoga com a realidade acadêmica, onde cada pesquisador(a)
desenvolve seus esforços, apontando a Universidade como um contexto complexo de múltiplos
atores.

Nossas produções podem ser referências importantes dentro e fora de nossas Universidades para
repensar as tarefas do futuro, tendo em vista a necessidade de avançar na formação ambiental de
profissionais que pretendem enfrentar os desafios do futuro.

 

CRONOGRAMA DE ATIVIDADES

 

• Previsão de publicação: abril de 2022

• Submissão de artigos: até 31/12/2021

• Entrega final: até o dia 12/02/2022

 

PERFIL DE AUTORES

 

Os participantes serão de diferentes Universidades latino-americanas que estejam envolvidas com questões ambientais e de sustentabilidade em suas Universidades. A construção será realizada por professores e pesquisadores (até no máximo 4 autores por artigo) em todos os casos com pelo menos um autor com título de doutorado.

Política de Privacidade

Os nomes e endereços informados nesta revista serão usados exclusivamente para os serviços prestados por esta publicação, não sendo disponibilizados para outras finalidades ou à terceiros.