A ciência da felicidade

a percepção entre estudantes da graduação da UFSM (2019-2020)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14295/rcn.v3i3.13997

Palavras-chave:

felicidade, bem-estar, sociologia

Resumo

O presente artigo refere-se ao tema da ciência da felicidade e analisa a percepção da felicidade entre os estudantes da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), nos semestres letivos de 2019-2020. A partir da contribuição teórica do utilitarismo e dos instrumentos de mensuração da felicidade utilizados pela psicologia positiva, aplicou-se um questionário com 30 questões em uma amostragem de 140 estudantes universitários de diferentes cursos superiores da mesma instituição. Os alunos responderam perguntas sobre: percepções sobre a vida pessoal, saúde emocional e relações social. O conteúdo das informações coletadas pode indicar o nível de felicidade e saúde mental em que os participantes se encontravam no momento. Os dados coletados foram agrupados quantitativamente no software SPSS® de forma que pudesse facilitar a análise e interpretação das respostas. Os resultados de um modo geral apontam para um percentual significativo de infelicidade entre os entrevistados, sendo que muitos fazem uso de medicamentos para o controle da ansiedade e do estresse.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dejalma cremonese, Universidade Federal de Santa Maria

É Licenciado em Filosofia FAFIMC - Faculdade de Filosofia Imaculada Conceição - Viamão RS (1990); Estudou 2 anos de teologia na FAPAS - Santa Maria RS (1991-1992); Especialista em ?Pesquisa Científica? FIC (Unifra) (1993-1994); Mestre em Filosofia pela Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria - RS (UFSM) (1996); e Doutor em Ciência Política pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) (2006). Atualmente é professor Associado I do Departamento de Ciências Sociais da UFSM. Professor do Programa de pós Graduação em Ciências Sociais da UFSM. Tem experiência nas áreas das Ciências Humanas e Sociais com ênfase em Filosofia Política e Teoria Política, atuando principalmente nos temas da Formação e Relações Humana: Se interessa pelos temas da Ética, Felicidade, Política e Pós-Modernidade. É palestrante e autor de diversos artigos e livros tendo lançado recentemente "Ética e Felicidade: lições da filosofia antiga para uma vida boa" pela Editora Appris, Curitiba - Brasil. Encontra-se no Prelo o seu mais novo livro a ser lançado este ano de 2020 pela Appris: "Fundamentos da teoria Política".

Referências

AGOSTINHO, S. De Trinitate (IX – XIII). Covilhã: Paulinas Editora, 2007/8. [trad. Arnaldo do Espírito Santo, Domingos Dias, João B. e Maria Cristina Pimentel]. Disponível em: . Acesso em 10 set, 2021.

AGOSTINHO, S. Solilóquios. A vida feliz. 2 ed. (Col. Patrística, Vol. 11. São Paulo: Paulus, 1998. Formato digital).

AHMED, Sara. La promesa de la felicidad. Una crítica cultural al imperativo de la alegría. Buenos Aires, Caja Negra, 2019.

ARISTÓTELES. Ética a Eudemo. São Paulo: EDIPRO, 2015. [trad e notas de Edson Bini].

ARISTÓTELES. Nicomachean Ethics. Kitchener: Batoche books, 1999 [Trad. W. D. Ross].

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70. 2011.

BENTHAM, J. “Uma introdução aos princípios da moral e da legislação”. In: Os Pensadores. 3 ed. São Paulo: Abril Cultural, 1984 [Trad.Luiz João Baraúna].

BIZZARIA, F. P. A.; Barbosa, F. L. S.; Rocha, S. G. S.. “Considerações sobre felicidade por Clusters de discentes de administração em uma instituição pública de ensino superior”. Revista Brasileira de Administração Científica, v.8, n.1, p.103-117, 2017. DOI: http://doi.org/10.6008/SPC2179-684X.2017.001.0009 [CdM1]

BOUNDON, R. A ideologia ou a origem das ideias recebidas. São Paulo: Editora Ática, 1989. [Trad. Emir Sader].

BRUCKNER, P. A Euforia Perpétua. Ensaio sobre o dever da felicidade. Rio de Janeiro: DIFEL, 2019. [Trad. Rejane Janowitzer].

BUDDE, C. Políticas e Práticas de Gestão de Pessoas e Felicidade no Trabalho: Estudo de Caso de uma Organização de Tecnologia. Tese UFSC, 2018. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/205071/PPSI0822-T.pdf?sequence=-1. Acesso em: 10 jun., 2021.

CREMONESE, D. Ética e Felicidade: lições da filosofia antiga para uma vida boa. Apris: Curitiba-PR, 2017.

CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.

DAMÁSIO, A. R. O erro de Descartes: emoção, razão e o cérebro humano. São Paulo: Companhia das Letras, 1996. [Trad.Dora Vicente; Georgina Segurado].

DELA COLETA, J. A; Lopes, J. E. F. L; Dela Coleta, M. F. “Felicidade, bem-estar subjetivo entre universitários”. Psico-USF, v. 17, n. 1, p. 129-139, jan./abr. 2012. Disponível em: https://www.scielo.br/j/pusf/a/BBGKZNL8HG8HZDnPM6NqSPk/?lang=pt. Acesso em 08 out, 2021.

DELA COLETA, M. F; Dela Coleta, J. A. “Felicidade, Bem-estar Subjetivo e Comportamento Acadêmico de Estudantes Universitários”. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 11, n. 3, p. 533-539, set./dez. 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/j/pe/a/D3hXTw5pXdRSnN5LPBZQYPP/?lang=pt&format=pdf. Acesso em 15 julh., 2021.

DURKHEIM, É. As regras do método sociológico. Rio de Janeiro: Vozes, 2019. [Trad. Maria Ferreira].

FREUD, S. O mal-estar na cultura. Porto Alegre, RS: L&PM, 2010 [Trad. Renato Zwick].

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2018.

GRESSLER, L. A. Introdução à pesquisa: projetos e relatórios. 2. ed. São Paulo: Loyola, 2004.

KAHNEMAN, D. “Experienced utility and objective happiness: a moment-based approach”. In: Choices, values and frames. New York: Cambridge University Press and the Russell Sage Foundation, 2000.

LAYARD, R. Felicidade: lições de uma nova ciência. Rio de Janeiro: Bestseller, 2008. [Trad. Maria Clara de Biase W. Fernandes].

MCMAHON, D. M. Felicidade: uma história, São Paulo: Globo, 2006.

MINAYO, M. C. S. (Org.) Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 33. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

NUSSBAUM, M. A Fragilidade da Bondade: fortuna e ética na tragédia e na filosofia gregas. São Paulo: Martins Fontes, 2009. [Trad. Bernardo Ferreira].

OLIVEIRA, E. de J. Felicidade no trabalho: uma análise a partir das dimensões do bem-estar. Tese de Doutorado, 2019. Disponível em: http://iepapp.unimep.br/biblioteca_digital/pdfs/docs/13032019_133504_elizangeladejesusoliveira_ok.pdf. Acesso em 10 de julho de 2021.

PASSARELI-CARRAZZONI, P; da Silva, J. A. “Bem-estar subjetivo: autoavaliação em estudantes universitários”. Estudos de Psicologia, Campinas I 29(3), 415-425, julho - setembro, 2012. Disponível em: https://www.scielo.br/j/estpsi/a/kWrwXYHjh8FJWDT38C9GL9C/?lang=pt. Acesso em 08/10/2021.

PIERUCCI, A. F. O desencantamento do mundo. Todos os passos do conceito de Max Weber. 3. ed. São Paulo: USP; Editora 34, 2013.

POTKAY, A. A história da alegria: da bíblia ao romantismo tardio. São Paulo: Globo, 2010 [Trad. Eduardo Henrique Aubert].

SANDEL, M. Justiça: o que é fazer a coisa certa. 26. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2019.

SEN, A. A ideia de justiça. São Paulo: Companhia das Letras, 2011 [Trad. Denise Bottmann e Ricardo Dominelli Dorneles].

SIDGWICK, H. The methods of Ethic. 7 ed. New York: The Free Press, 1977. Disponível em https://as.nyu.edu/content/dam/nyu-as/faculty/documents/justint .pdf. Acesso em 05/06/2019.

STUART MILL, J. A Liberdade/Utilitarismo. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

WALKER, H; Kavedzija, I. Values of Happiness. HAU: Jornal of Ethnographic Theory. 5 (3), p.1-23, 2015.

Downloads

Publicado

2022-02-18

Como Citar

CREMONESE, D.; CORRÊA, R. .; ELOÍSA HENZEL, M. .; NARDON NOAL, T. . A ciência da felicidade : a percepção entre estudantes da graduação da UFSM (2019-2020). Campos Neutrais - Revista Latino-Americana de Relações Internacionais, Rio Grande, RS, v. 3, n. 3, p. 67–86, 2022. DOI: 10.14295/rcn.v3i3.13997. Disponível em: https://seer.furg.br/cn/article/view/13997. Acesso em: 17 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos Livres