As Políticas Públicas e participação no Rio Grande do Sul

uma análise comparativa do SUAS

Autores

  • Douglas Marques Universidade Estadual de Maringá (UEM)
  • Everton Santos Universidade Feevale

DOI:

https://doi.org/10.14295/cn.v3i1.13040

Palavras-chave:

Políticas Públicas, Participação., Rio Grande do Sul, Pesquisa de opinião pública

Resumo

O presente artigo baseia-se na teoria de capital social de Putnam e o seu impacto nos aspectos da participação nas políticas públicas, no Rio Grande do Sul, em especial nas cidades de Caxias do Sul e de Novo Hamburgo. Pretendemos demonstrar, comparativamente, a relação entre o acúmulo capital social e a qualidade da participação nas políticas públicas. Utilizamo-nos de pesquisa de opinião pública, tipo Survey, por meio de duas baterias de testes nas cidades em tela, totalizando 382 questionários aplicados diretamente aos usuários do Sistema Único de Assistência Social (SUAS). Neste sentido, estatisticamente foi possível afirmar nossa hipótese, qual seja, que existe relação positiva entre capital social e a qualidade da participação nas políticas públicas, assim, na medida em que cresce o estoque de capital social, cresce a participação no âmbito das políticas públicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA NETO, H. Pesquisa científica na prática. Canoas. EdULBRA. 2008.

ARROW, K. J. The limits of organization. London: Norton & Company, 1974.

ATLAS BRASIL – Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil. Ranking – todo o Brasil (2010). Disponível em: http://atlasbrasil.org.br/2013/pt/ranking/. Acesso em 20 de abr, 2017.

BABBIE, E. Métodos de pesquisa de survey. 3. reimp. Belo Horizonte: UFMG, 2005. 519p.

BANDEIRA, P.S. Algumas hipóteses sobre as causas das diferenças regionais quanto ao capital social no Rio Grande do Sul. In.: SOUZA CORREA, S. M. Capital social e desenvolvimento regional. Santa Cruz do Sul: EDNISC, 2003, 336p.

BAQUERO, M. Qual Democracia para a América Latina: capital social e empoderamento são a resposta? Porto Alegre: Ed. UFRGS, 2013.

BAQUERO, M.; PRÁ J. A democracia brasileira e a cultura política no Rio Grande do Sul. Ed. UFRGS: Porto Alegre, 2007.

BARBETTA, P. Estatística aplicada às ciências sociais. Florianópolis: Edusfc, 2010.

BASTOS, F. A. A inserção da odontologia em quatro municípios em gestão plena do Sistema Municipal do SUS no Rio Grande do Sul: um estudo de avaliação institucional. Tese (Doutorado) - Universidade Luterana do Brasil. Programa de Pós-Graduação em Odontologia. Canoas, 2008.

BOBBIO, N. (et al). Dicionário de Política. Brasília: UNB. 11.ed, 1998.

BORDENAVE, J. E. D. O que é participação. São Paulo: Brasiliense, 1983.

BOZEMAN, B; PANDEY, S.K. Public management decision making: effects of decision contet. Public Adminitration Review. v.64, n. 5, p. 553-565, 2004.

BOURDIEU, P. Le capital social. Actes de la Recherche en Sciences Sociales, v. 31, p. 2-3, 1980.

BRASIL. Presidência da República. Assembleia Legislativa. Constituição da República Federativa do Brasil. Disponível em: http://www.planalto.gov.br /ccivil_03/constituicao/ConstituicaoCompilado.html. 2015.

_________ Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome. Secretaria Nacional de Assistência Social. Norma Operacional Básica–NOB SUAS - 2005. Disponível em: https://www.mds.gov.br/webarquivos/arquivo/assistencia_social/nob_suas.pdf.

CARAGNATO, L. Presença e contribuição dos afro-descendentes no município de Caxias do Sul – 1875 a 1950. MÉTIS: história & cultura – v. 9, n. 17, p. 201-215, jan./jun, 2010.

COLE, G. D. H. Social Theory. Londres: Methuen, 1920.

COLEMAN, J. S. Social capital in the creation of human capital. The American Journal of Sociology, v. 94, Supplement: Organizations and Institutions: Sociological and Economic Approaches to the Analysis of Social Structure, p. 95-120, 1988.

DOWBOR, L. A reprodução Social Vol. III: descentralização e participação – as novas tendências. Rio de Janeiro: Vozes, 2003.

DYE, R. T. Mapeamento dos módulos de análise de políticas públicas. In.: HEIDEMANN, F; SALM J (org.). Políticas públicas e desenvolvimento: bases epistemológicas e modelos de análise. 3.ed. Brasília: UNB, 2014.

FERRAZ, F. (2016). Brasil: a cultura política de uma democracia mal resolvida. Porto Alegre: Ad2000, 2016.

_________ . A Infraestrutura social da democracia americana. Porto Alegre: PUCRS, 1977.

FUKUYAMA, F. Confiança: as virtudes sociais e a criação da prosperidade. Ed. Rocco: Rio de Janeiro, 1996.

GERTZ, R. Colonização: segunda fase. In: CARELI, Sandra da Silva; KNIERIM, Luiz Claudio (org.). Releituras da História do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, CORAG, 2011.

GIDDENS, A. (org). O debate global sobre a terceira via. São Paulo: UNESP, 2007.

GOHN, M. da G. Conselhos gestores e participação sociopolítica. São Paulo: Ed. Cortez, 2011.

GUSTAFSSON, G. Symbolic and pseudo policies as responses to diffusion of Power. Policy sciences. v. 5, n. 3, p. 269-287, 1983.

HERÉDIA, V. B. M. O mito do imigrante no imaginário da cultura. MÉTIS: história & cultura – v. 4, n. 8, p. 233-244, jul./dez, 2005.

INGLEHART, R. Modernización y posmodernización: el cambio cultural, económico y político en 43 sociedades. Madrid: Centro de Investigaciones Sociológicas/Siglo Veintiuno, 2001.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSCA- IBGE. Caracterização dos municípios do Estado do Rio Grande do Sul. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/rs/panorama. Acesso em mai, 2012.

KHAN, A. S.; SILVA, L. M. R. Avaliação do Projeto São José no Estado do Ceará: Estudo de Caso. UFC /CCA /DEA, Fortaleza, Ceará, 2012.

LAHERA, E. Introducción a las políticas públicas. Chile: Fondo de Cultura Económica, 2012.

LOTTA, G. Teoria e análise sobre implantação de políticas públicas no Brasil. Brasília: ENAP, 2019, 324p.

LOWI, T. J. American Business, public policy, case studies, and political theory. World Politics, v. 16, n. 4, p. 667-715, 1964.

MARQUES, D; SANTOS, E; KUHN JUNIOR, N. Os desafios do controle social do (suas) e a subcidadania brasileira: o caso de Novo Hamburgo. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, Taubaté, SP, v. 12, n. 2, p. 116-137, mai-ago, 2016.

MEIRELLES, M. O uso do SPSS (Statistical Package for the Social Sciences) na Ciência Política: uma breve introdução. Revista Pensamento Plural, Pelotas, nº 15, p. 65-91, jan-jun, 2012.

MICELI, S (org.) O que ler na ciência social brasileira (1970-1995). São Paulo: Ed. Sumaré: AMPOCS, Brasília: DF, 1999.

MILL, S. O governo representativo. São Paulo: Escala, 2001.

MONASTEIRO, L. M. Medindo o capital social: uma análise das regiões do Rio Grande do Sul. In.: SOUZA CORREA, S. M. Capital social e desenvolvimento regional. Santa Cruz do Sul: EDNISC, 2003, 336p.

NOGUEIRA, V. M. R. Avaliação e monitoramento de políticas e programas sociais – revendo conceitos básicos. Revista Katálysis, Santa Catarina vol.5, n.2, p.141 a 152, Jul/dez, 2012.

NORTH, D. Institutions, institutional change and economic performance. EUA: Cambridge University Press, 2007.

OLSON, M. A lógica da ação coletiva: os benefícios públicos e uma teoria dos grupos sociais. São Paulo: EDUSP, 1999.

PASE, H. L. Capital social e desenvolvimento: a experiência do Rio Grande do Sul. Pelotas: Ed.UFPEL, 2016.

PESAVENTO, S. J. História do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1980.

PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO-PNUD. Relatório do Desenvolvimento Humano Brasileiro 2009-2010. Disponível em: http://www.pnud.org.br/Noticia.aspx?id=4175. Acesso em mai, 2015.

PUTNAM, R. Comunidade e democracia: a experiência da Itália moderna. São Paulo: FGV, 2000.

RIBEIRO, I; FERNANDES, E; RIBEIRO, H. A importância do capital social para o desenvolvimento de uma região. Revista RURIS, v. 6, nº 1, mar, 2012.

ROUSSEAU, J. The social contract. New York: Penguin Books, 1968.

SANTOS, M. de O; ZANINI, M. C. C. Especificidades da Identidade de descendentes de italianos no sul do Brasil: breve análise das regiões de Caxias do Sul e Santa Maria. Revista Antropolítica, Niterói, n. 27, p. 21-41, 2009.

SANTOS, E. Democracia e desenvolvimento: desafios da sociedade gaúcha. Ijuí: Edjuí, 2013.

SANTOS E.; NUNES, M. F. Capital Social e políticas públicas: um estudo comparado no Vale do Rio dos Sinos. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 50, n.1, p.129-149, jan.fev, 2016.

SECCHI, L. Políticas Públicas: conceitos, esquemas de análise, casos práticos. São Paulo: Cengage Learning, 2014.

SOUZA, C. Políticas públicas: uma revisão da literatura. Revista Sociologias, n.16, pp.20-45, 2006.

STASSEN, J.F. Exclusion and participation: can the excluded become able to participate? Belgium: Université de Liége, 1999.

SCHÜTZ, M.M.E. Novo Hamburgo: sua história, sua gente. Porto Alegre: Pollott, 1976.

SZRETER S. Social Capital: critical perspectives. EUA: OXFORD University Press, 1999.

TABELLINI, G. Culture and institutions: economic development in the regions of Europe. EUA: CESIFO, 2005.

TOCQUEVILLE, A. A democracia na América. Tradução, prefácio e notas: Neil Ribeiro da Silva. 2. ed. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: Edusp, 1998.

WITTMANN, M. L.; RAMOS, M. P. (Org.) Desenvolvimento regional: Capital social, redes e planejamento.Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2004.

WILSON, J, Q. American goverment: institutions and policies. Lexington: Heart & Co. 1983.

Downloads

Publicado

2021-06-14

Como Citar

MARQUES, D.; SANTOS , E. . As Políticas Públicas e participação no Rio Grande do Sul: uma análise comparativa do SUAS. Revista Campos Neutrais, Rio Grande, RS, v. 3, n. 1, p. 68–89, 2021. DOI: 10.14295/cn.v3i1.13040. Disponível em: https://seer.furg.br/cn/article/view/13040. Acesso em: 28 nov. 2021.

Edição

Seção

Artigos Livres