“Nós não vivemos no mesmo planeta”

como a ausência de um mundo comum afeta as crises sanitária e ecológica no contexto brasileiro

Autores

  • Luciana Marcon Universidade Luterana do Brasil
  • Maria Lúcia Castagna Wortmann Universidade Luterana do Brasil

Palavras-chave:

pandemia, Antropoceno, escapismo, crises

Resumo

A partir de uma reportagem veiculada pelo programa de televisão Fantástico, da Rede Globo de Televisão, que abordava a relação entre o Antropoceno e a(s) pandemia(s), discute-se o que foi comunicado nesta matéria jornalística, com base em considerações feitas pelo filósofo/antropólogo francês Bruno Latour. Dá-se destaque aos aspectos escapistas que perpassam as manifestações oficiais divulgadas no contexto brasileiro, tanto em relação à crise sanitária que se instalou durante a epidemia do Covid-19, quanto frente ao agravamento da crise ecológica em curso no país. Examina-se, também, como têm sido delineados alguns caminhos para o enfrentamento de problemáticas relativas à Gaia, na perspectiva do autor considerado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana Marcon, Universidade Luterana do Brasil

É Doutoranda e Mestra em Educação com área de concentração em Estudos Culturais, pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Luterana do Brasil (PPGEDU-ULBRA), no qual desenvolveu, durante o Mestrado, pesquisa acadêmica como bolsista PROSUP/CAPES. É licenciada em Ciências Biológicas pela mesma Instituição (2010/1 - 2014/2), tendo sido bolsista integral do Programa Universidade Para Todos (PROUNI). Atuou como bolsista CNPq do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Luterana do Brasil (PPGEDU-ULBRA) sob orientação da Professora Maria Lúcia Wortmann (2014). Atualmente, é professora tutora na Educação à Distância dos cursos de Ciências Biológicas, Gestão Ambiental, Agronomia e Fisioterapia na ULBRA.

Maria Lúcia Castagna Wortmann, Universidade Luterana do Brasil

Possui graduação em História Natural pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1967), mestrado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1980) e doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1994), tendo realizado doutorado-sanduíche com bolsa CNPq na Université Pierre et Marie Curie (ParisVI). Atualmente é professor adjunto da Universidade Luterana do Brasil, onde atua no Programa de Pós-Graduação em Educação, e professora pesquisadora convidada do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Estudos Culturais em Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: estudos culturais em educação, estudos culturais, educação em ciência, pedagogias culturais e estudos culturais de ciência.

Referências

HONORATO, Bruno Eduardo Freitas & SILVA, Everton Rodrigues. Onde aterrar? Como se orientar politicamente no Antropoceno? Cadernos EBAPE. Fundação Getúlio Vargas, Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas. Vol 19, n.2. p. 391-394, 2021. Disponível em: <https://www.redalyc.org/journal/3232/323267864015/html/>. Acesso em: 09 out. 2021.

LATOUR, Bruno. Se o Brasil achar solução para si, vai salvar o resto do mundo, diz Bruno Latour. Folha de São Paulo. 12 set. 2020a. Disponível em: <https://www1.folha.uol.com.br/ambiente/2020/09/se-o-brasil-achar-solucao-para-si-vai-salvar-o-resto-do-mundo-diz-bruno-latour.shtml>. Acesso em: 11 ago. 2021.

LATOUR, Bruno. Entrevista com Bruno Latour. Revista Rosa, n.1, v.2, 14 set. 2020. 2020b. Disponível em: <https://revistarosa.com/2/entrevista-com-bruno-latour>. Acesso em: 13 ago. 2021.

LATOUR, Bruno. Onde aterrar? Como se orientar politicamente no Antropoceno. Rio de Janeiro: Bazar do Tempo, 2020c, 160 p.

LATOUR, Bruno. Diante de Gaia: oito conferências sobre a natureza no Antropoceno. São Paulo/ Rio de Janeiro: Ubu Editora/ Ateliê de Humanidades Editorial, 2020d. 480 p.

LATOUR, Bruno. Bruno Latour: Zonas críticas e novas relações entre humanos e a natureza | Amanhãs Aqui e Agora. Museu do Amanhã, 54’24’’, 2 ago. 2020e. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=UQzXV28c9FA>. Acesso em: 11 out. 2021.

LATOUR, Bruno & GUINARD, Martin. In: Taipei Biennial 2020: You and I Don’t Live on the Same Planet. E-flux Journal, Brooklyn, USA, 17 abr. 2020. Disponível em: <https://www.e-flux.com/announcements/322957/taipei-biennial-2020you-and-i-don-t-live-on-the-same-planet/>. Acesso em: 04 out. 2020.

OLIVEIRA, Beatriz Fátima Alves de et. al. Deforestation and climate change are projected to increase heat stress risk in the Brazilian Amazon. Communications Earth & Environment, 2, n. 207, 1 oct. 2021. Disponível em: <https://www.nature.com/articles/s43247-021-00275-8#citeas>. Acesso em: 05 out. 2021.

Downloads

Publicado

2022-05-04

Como Citar

Marcon, L., & Castagna Wortmann, M. L. (2022). “Nós não vivemos no mesmo planeta”: como a ausência de um mundo comum afeta as crises sanitária e ecológica no contexto brasileiro . Ambiente &Amp; Educação, 26(2), 190–215. Recuperado de https://seer.furg.br/ambeduc/article/view/13590

Edição

Seção

Educação Ambiental e a Pandemia de COVID-19