Áreas verdes para quem? Reflexões sobre a divulgação do tema “áreas verdes na baixada fluminense” em notícias da internet

Autores

Palavras-chave:

Educação Ambiental Crítica. Áreas verdes. Análise crítica do discurso. Baixada Fluminense.

Resumo

No contexto do projeto “Baixada Verde”, a pesquisa objetivou refletir sobre a divulgação do tema “áreas verdes na Baixada Fluminense” a partir de dois textos de jornais de grande circulação, disponíveis na internet. Sob o aporte teórico-metodológico da Análise Crítica do Discurso, analisamos os textos a partir do seu significado representacional. Observamos o uso de estratégias discursivas para apresentar como interesse da coletividade o que interessa a apenas algumas pessoas ou grupos. As áreas verdes foram representadas majoritariamente por seu potencial ecoturístico, sendo ignorada a sua importância socioambiental e em saúde pública. A partir das análises apontamos subsídios para ações em educação ambiental crítica que busquem dar visibilidade às questões socioambientais relacionadas às áreas verdes nessa região.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paula Thaise Bermudez dos Reis, Instituto Federal de Ciência, Educação e Tecnologia do Rio de Janeiro

Mestre em Engenharia Ambiental pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Especialista em Educação e Divulgação Científica pelo Instituto Federal de Ciência, Educação e Tecnologia do Rio de Janeiro

Gabriela Ventura da Silva do Nascimento, Instituto Federal de Ciência, Educação e Tecnologia do Rio de Janeiro

Doutora em Educação em Ciências e Saúde pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Professora do Instituto Federal de Ciência, Educação e Tecnologia do Rio de Janeiro

Referências

ACSELRAD, Henry. J. Meio Ambiente e Justiça: estratégias argumentativas e ação coletiva. In. ACSELRAD, Henry; HERCULANO, Selene ; PÁDUA, José Augusto. (Orgs.). Justiça ambiental e cidadania. 2. ed. Rio de Janeiro: Relume Dumará, p. 23-39, 2004.

ALMEIDA, Douglas Monteiro; FERNANDES, Carlos Leonardo Gomes. Um olhar sobre o planejamento e desenvolvimento do município de São João de Meriti/RJ. Revista Nacional de Gerenciamento de Cidades, v. 2, n. 13, p. 26 - 42, 2014.

BARGOS, Danúbia Caporusso; MATIAS, Lindon Fonseca. Áreas verdes urbanas: um estudo de revisão e proposta conceitual. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana, v. 6, n. 3, p. 172-188, 2011.

BERG, Tiago José. Geografia e Heráldica: Lendo a representação da paisagem nos brasões de armas dos Estados brasileiros. Geografia Ensino & Pesquisa, v. 19, p. 123-133, 2015.

CAVALHEIRO, Felisberto, et al. Proposição de terminologia para o verde urbano. Boletim informativo da SBAU, v. 7, n. 3, p. 7, 1999.

CARVALHO, Andrea Melo de. Áreas verdes em Teresina-PI: aspectos legais, ambientais e de gestão. 2015. 202 f. Tese - (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Instituto de Geociências e Ciências Exatas, 2015.

CARVALHO, Vilson. Sérgio de. Educação ambiental urbana. Rio de Janeiro: Wak Ed., 2008.

CHIAPELLO, Eve; FAIRCLOUGH, Norman. Understanding the new management ideology. A transdisciplinary contribution from critical discourse analysis and the new sociology of capitalism. Discourse & Society. v. 13, nº 2, p. 185 – 208, 2002.

CRUZ, Ana Carolina Costa Lemos. Educação Ambiental no entorno da REBIO de Tinguá: ferramenta de Divulgação Científica. Trabalho de Conclusão (Curso especialização em Educação e Divulgação Científica do Programa de Pós-Graduação Lato Sensu em Educação e Divulgação Científica.) do IFRJ / Campus Mesquita, 2015.

DESA, United Nations. World urbanization prospects, the 2018 revision. Population Division, Department of Economic and Social Affairs, United Nations Secretariat, 2018.

ENNE, Ana Lucia Silva. Fluxos e interações da rede de memória e história na Baixada Fluminense. Revista Pilares da História, p. 37-52, 2003.

ERNSTSON, Henrik et al. Scale-crossing brokers and network governance of urban ecosystem services: The case of Stockholm. Ecology and Society, v.15, 28 p., 2010.

EXTRA ONLINE . Com diversas áreas verdes, Baixada Fluminense entra no roteiro de ecoturismo do estado. Extra Online, Rio de Janeiro, 16 Ago. 2017. Disponível em: <https://extra.globo.com/noticias/rio/com-diversas-areas-verdes-baixada-fluminense-entra-no-roteiro-de-ecoturismo-do-estado-21709987.html > Acesso em: Mai. 2019.

FAIRCLOUGH, Norman. Discurso e mudança social. Brasília: Universidade de Brasília, 2001.

___________________. Analysing discourse: Textual analysis for social research. Routledge. 2003.

___________________. Semiose, mediação e ideologia: uma visão dialética. Revista Parágrafo. v. 4, n. 1. 2016. Disponível em: <http://revistaseletronicas.fiamfaam.br/index.php/recicofi/article/view/375 Acesso em: 08 de julho de 2017.>

GELINSKI, Carmen Rosario Ortiz G.; SEIBEL, Erni José. Formulação de políticas públicas: questões metodológicas relevantes. Revista de Ciências Humanas, v. 42, n. 1 e 2, p. 227-240, 2008.

LAYRARGUES, Philippe Pomier; LIMA, Gustavo Ferreira da Costa. Mapeando as macrotendências político-pedagógicas da educação ambiental contemporânea no Brasil. In: Encontro Pesquisa em Educação Ambiental, 6. Anais. Ribeirão Preto: Universidade de São Paulo - Campus Ribeirão Preto, 2011.

LIMA, Ana Maria Liner Pereira. et al. As áreas de Piracicaba. Anais do III Encontro Nacional sobre arborização Urbana. Curitiba, 1990.

LOBODA, Carlos Roberto; DE ANGELIS, Bruno Luiz Domingues. Áreas Verdes Públicas Urbanas: Conceitos, Usos e Funções. Ambiência - Revista do Centro de Ciências Agrárias e Ambientais, v. 1, n. 1, p. 125-139, Jan/Jun. 2005.

_____________________________________________________. Áreas verdes públicas urbanas: conceitos, usos e funções. Ambiência, v. 1, n. 1, p. 125-139, 2009.

LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo. Educação ambiental e movimentos sociais na construção da cidadania ecológica e planetária. In: Educação ambiental: repensando o espaço da cidadania. 2002.

LOUREIRO, Carlos Frederico B.; LAYRARGUES, Philippe Pomier. Ecologia política, justiça e educação ambiental crítica: perspectivas de aliança contra-hegemônica. Trabalho, educação e saúde. Rio de Janeiro, v. 11, n. 1, p. 53-71, 2013.

MACEDO, Silvio Soares; SAKATA, Francine Gramacho. Parques urbanos no Brasil. 3ª ed. São Paulo: Edusp. 2010.

MACIEL, Ana Maria Becker; SILVA, Patrícia Varriale. A metáfora na terminologia ambiental. In: Congresso Internacional sobre Metáfora na Linguagem e no Pensamento (4.: 2011: Porto Alegre). Anais. Porto Alegre: Instituto de Letras da UFRGS, 2011.

MELO, Iran Ferreira. Análise Crítica do Discurso: modelo de análise linguística e intervenção social. Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978), v. 40, n. 3, p. 1335-1346, 2011.

O DIA. Baixada Verde: Região vai ter incentivo no ecoturismo. Disponível em: https://odia.ig.com.br/_conteudo/rio-de-janeiro/2017-08-13/baixada-verde-regiao-vai-ter-incentivo-no-ecoturismo.html. Acesso em: Nov. 2018.

OLIVEIRA, Aline Lima; GUIMARÃES, Mauro. Da práxis participativa à educação ambiental Crítica: análises de propostas formativas de educadores ambientais da baixada fluminense. Revista Tempos e Espaços em Educação, 2014.

QUEIROZ, Edileuza; FREIRE, Laísa. Análise Crítica do Discurso: Um marco teórico-metodológico para pesquisas em educação em ciências. Ensino, Saúde e Ambiente, v. 7, n. 1, 2014.

REIS, Paula Thaise Bermudez dos. A Baixada é verde?: reflexões sobre a divulgação do tema “áreas verdes na Baixada Fluminense” em notícias da internet. – Rio de Janeiro: Mesquita, 2018- 2019.54 p.Trabalho de Conclusão (Curso especialização em Educação e Divulgação Científica de Pós-Graduação Lato Sensu em Educação e Divulgação Científica.) do IFRJ / Campus Mesquita - RJ, 2019

RIO DE JANEIRO. Caderno Metropolitano. v. 3 Rio de Janeiro, 2017. Disponível em: <https://www.modelarametropole.com.br/wp-content/uploads/2017/08/Caderno03-Cartografia-Camara.pdf> Acesso em: Fev. 2020.

______________. Plano estratégico incrementa turismo na Baixada Verde. 2018. Disponível em:<http://www.governoaberto.rj.gov.br/noticias/2018/03/plano-estrategico-incrementa-turismo-na-baixada-verde> Acesso em: Mai. 2019.

______________. Lei nº 5.558, de 5 de outubro de 1965.

SANCHES, Patrícia Mara. De áreas degradadas a espaços vegetados. Editora Senac São Paulo, 2014.

SCIFONI, Simone. O verde do ABC: reflexões sobre a questão ambiental urbana. (Dissertação de Mestrado). São Paulo: USP, 1994.

SEGAWA, Hugo. Ao amor do público: jardins no Brasil. São Paulo: Studio Nobel, 1996.

SILVA, Allan Deyvid Pereira; DOS SANTOS, Andre Ferreira; DE OLIVEIRA, Lucicleia Mendes. Índices de área verde e cobertura vegetal das praças públicas da Cidade de Gurupi, TO. Floresta, v. 46, n. 3, p. 353-362, 2016.

SILVA, Lucia Helena Pereira. De Recôncavo da Guanabara a Baixada Fluminense: leitura de um território pela história. Recôncavo: Revista de História da UNIABEU, v. 3, n. 5, p. 47-63, 2013.

SILVA, Luzia Rodrigues da. O discurso da professora: representação e transitividade. Anais do SILEL, v. 1, 2009.

SIMÕES, Manoel Ricardo. Ambiente e sociedade na Baixada Fluminense. Mesquita: Editora Entorno, p. 1-358, 2011.

TOLEDO, Fabiane Santos; SANTOS, Douglas. Gomes. Espaço Livre de Construção – Um passeio pelos Parques Urbanos. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana, v. 7, n. 2, p.10-23, 2012.

UFRRJ, Entrevista: Observatório da Baixada Verde. Disponível em: https://portal.ufrrj.br/entrevista-observatorio-da-baixada-verde/ . Acesso em: Março, 2020.

VENTURA, Gabriela. Da dissimulação das relações de dominação às possibilidades de superação da crise socioambiental: uma análise discursiva das finalidades da educação em ciências. / Gabriela Ventura da Silva do Nascimento. – Rio de Janeiro: UFRJ/NUTES, 2017. 192 p.

VENTURA, Gabriela.; FREIRE, Laísa. Discursos sobre justiça ambiental: fortalecendo sentidos emancipatórios nas práticas da educação em ciências. Ensino, Saúde e Ambiente, v. 10, n. 3, 2017.

______________________________. A Educação em Ciências e os discursos sobre ciência e tecnologia: contribuições para o debate ambiental. Tecné Episteme y Didaxis TED, 2018.

WHO, Urban green spaces. Disponível em: <https://www.who.int/sustainable-development/cities/health-risks/urban-green-space/en/> . Acesso em: Jun. 2019.

WOLCH, Jennifer. R.; BYRNE, Jason; NEWELL, Joshua. P. Urban green space, public health, and environmental justice: The challenge of making cities ‘just green enough’. Landscape and urban planning, v. 125, p. 234-244, 2014.

Downloads

Publicado

2021-10-31

Como Citar

dos Reis, P. T. B., & do Nascimento, G. V. da S. (2021). Áreas verdes para quem? Reflexões sobre a divulgação do tema “áreas verdes na baixada fluminense” em notícias da internet. Ambiente &Amp; Educação, 26(1), 677–704. Recuperado de https://seer.furg.br/ambeduc/article/view/11846