Modulações algorítmicas em plataformas digitais e o colonialismo de dados: reflexões para a construção de uma agência descolonial

Autores

  • Monique Navarro de Souza Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Luis Artur Costa Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Resumo

Os sistemas algorítmicos modulam as subjetividades no contemporâneo, através do uso de diferentes instrumentos e técnicas que reificam a noção de um humano colonial e reiteram uma lógica antropocêntrica. Como podemos resistir nas (e com as) plataformas digitais? As xenofeministas acreditam na ação de redesenhar as funcionalidades das materialidades tecnológicas, e produzir alianças com aquilo que nos é estranho, com forças alienígenas, externas e inumanas. Faz-se fundamental a experimentação da descolonização das epistemologias, dos saberes psis, dos imaginários sociotécnicos e de ações coletivas nos espaços digitais. Assim, o presente artigo tem como objetivo apostar na (re)apropriação da técnica e da imaginação, além de uma outra (xeno)cosmopercepção para apreender as dinâmicas micromateriais envolvidas nas modulações algorítmicas, a fim de ficcionarmos coletivamente agências descoloniais, que não reproduzam hierarquias violentas e opressoras, e que possam nos ofereçam novas possibilidades de mundos, em um contexto tecno(necro)biopolítico.

Biografia do Autor

Monique Navarro de Souza, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Monique Navarro Souza Mestranda no Programa de Pós graduação em Psicologia Social e Institucional na Universidade Federal do Rio Grande do Sul PPGPSI UFRGS ) moniquenavarro0410@gmail.com 

Luis Artur Costa, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

professor adjunto do Departamento de Psicologia Social e Institucional e do Programa de Pós graduação em Psicologia Social e Institucional PPGPSI UFRGS. E-mail: larturcosta@gmail.com

Downloads

Publicado

2022-02-17