Educação e inclusão no contexto do “neoliberalismo conservador” no Brasil

Autores

  • Mozart Linhares da Silva Universidade de Santa Cruz do Sul - UNISC

DOI:

https://doi.org/10.14295/rbhcs.v13i27.13530

Palavras-chave:

Educação, inclusão, exclusão, neoliberalismo, governamentalidade

Resumo

O artigo problematiza, a partir da perspectiva da governamentalidade de Michel Foucault, as relações entre o neoliberalismo, inclusão e exclusão, considerando duas configurações do neoliberalismo, o democrático e o conservador. Mostra como o imperativo da inclusão se constituiu numa estratégia de governamentalidade, sobretudo entre o período democrático, inaugurado pela Constituição de 1988 até o impeachment de Dilma Rousseff, em 2016, e como, com a ascensão da extrema-direita, com a eleição de Jair Bolsonaro, esse imperativo perde sua força interpretativa nas análises do neoliberalismo. O artigo está dividido em três partes, além da introdução. Na primeira parte, analisa-se como o imperativo da inclusão agenciou as narrativas neoliberais sobre o capital humano e a educação. Na segunda, problematiza o esgotamento do imperativo da inclusão com a emergência do neoliberalismo de feição conservadora. Por fim, na terceira, ou considerações finais, aponta para a necessidade de problematizações sobre as relações entre neoliberalismo, conservadorismo e fascismo como pano de fundo das discussões sobre educação, in/exclusão e precarização. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mozart Linhares da Silva, Universidade de Santa Cruz do Sul - UNISC

Doutor em História pela PUCRS e Pós-doutor em Educação pela UFRGS. Professor do Programa de Pós-graduação em Educação e do Departamento de História e Geografia da UNISC

Referências

AGAMBEN, Giorgio. Homo Sacer: o poder soberano e a vida nua I. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2002.

BANCO INTERNACIONAL DE RECONSTRUÇÃO E DESENVOLVIMENTO (BM). Reformas econômicas e trabalhistas na América Latina e no Caribe. Washington, D.C., 1995. Disponível em: http://documents1.worldbank.org/curated/en/467091468239371753/pdf/14922010portuguese.pdf. Acesso em: 24 out. 2020.

BANCO INTERNACIONAL DE RECONSTRUÇÃO E DESENVOLVIMENTO (BM). Prioridades y estrategias para la educación Examen del Banco Mundial. Banco Internacional de Reconstrucción y Fomento. Washington, DC, 1996. Disponível em: http://documents1.worldbank.org/curated/pt/715681468329483128/pdf/14948010spanish.pdf. Acesso em: 24 out. 2020.

BATISTA, Paulo Nogueira. O Consenso de Washington: a visão neoliberal dos problemas latino-americanos. São Paulo: USP, 1994. Disponível em: https://www.fau.usp.br/cursos/graduacao/arq_urbanismo/disciplinas/aup0270/4dossie/nogueira94/nog94-cons-washn.pdf.

BAUMAN, Zigmunt. Comunidade: a busca por segurança no mundo atual. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003.

BAUMAN, Zigmunt. Vidas Desperdiçadas. Rio de Janeiro: Zahar, 2005.

BLACK, Edwin. A guerra contra os fracos. Editora: A Girafa, 2003.

BUTLER, Judith. Corpos em aliança e a política das ruas: notas para uma teoria performativa de assembleia. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2018. E-book. Disponível em: https://pt.scribd.com/document/404988595/Judith-Butler-Corpos-Em-Alianca-e-a-Pol%D0%93-tica-Das-Ruas-Notas-Para-Uma-Teoria-Performativa-de-Assembleia-2018-Civilizacao-Brasileira#m_search-menu_595752. Acesso em: 25/04/2020.

BUTLER, Judith. Vida precária: os poderes do luto e da violência. Belo Horizonte: Autêntica, 2019.

CARVALHO, Alexandre Filordi de; GALLO, Silvio D. de Oliveira. Foucault e a governamentalidade democrática: a questão da precarização da educação inclusiva. Mnemosine, Vol.16, nº1, p. 146-160 (2020).

COSTA, Sylvio de Sousa Gadelha. Governamentalidade Neoliberal, Teoria do Capital Humano e Empreendedorismo. Educação & Realidade. v. 34, n. 2 (2009), p. 175. Disponível em: http://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/8299.

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christian. A nova Razão do Mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo, 2016.

FOUCAULT, Michel. Em defesa da sociedade. Curso dado no Collège de France (1975-1976). São Paulo: Martins Fontes, 2002.

HAMANN, Trent H. Neoliberalismo, governamentalidade e ética. Ecopolítica, 3: 99-133, 2012, p. 101. Disponível em: www.revistas.pucsp.br/ecopolitica. Acesso em 29 de maio de 2015.

HILLESHEIM, Betina; CAPPELLARI, Amanda. Vamos ser inclusivos/as? Campanhas na mídia e produção de verdades sobre inclusão. Estudos e pesquisas em Psicologia. v. 19, n. 1 (2019). Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/revispsi/article/view/43005/29716. Acesso em: 25 out. 2020.

KAYSER, Erick. Neoliberalismo e necropolítica [Versão eletrônica]. IHU – Humanitas, 2019. Recuperado em 20 de março de 2019, de http://www.ihu.unisinos.br/78-noticias/595098-neoliberalismo-e-necropolitica

LAGASNERIE, Geoffroy de. A última lição de Michel Foucault. São Paulo: Três Estrelas, 2013.

LAZZARATO, Maurizio. Fascismo ou revolução? O neoliberalismo em chave estratégica. São Paulo: n-1 edições, 2019.

LOCKMANN, Kamila. As reconfigurações do imperativo da inclusão no contexto de uma governamentalidade neoliberal conservadora. Pedagogía y Saberes, n. 52 Universidad Pedagógica Nacional Facultad de Educación. 2020. pp. 67–75.

LOPES, Maura Corcini; LOCKMANN, Kamila; HATTGE, Morgana Domênica. Políticas de Estado e Inclusão. Pedagogía y Saberes, n. 38, Universidad Pedagógica Nacional Facultad de Educación. 2013, pp. 41-50.

LOPES, Maura Corsini. Políticas de inclusão e governamentalidade. Educação e Realidade. v. 34, n. 2, 2009. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/8297. Acesso em: 25 out. 2020.

LOPES, Maura Corcini; RECH, Tatiana Luiza. Inclusão, biopolítica e educação. Educação (Porto Alegre, impresso), v. 36, n. 2, p. 210-219, maio/ago. 2013.

MBEMBE, Achille. Necropolítica. 1ª reimpressão. São Paulo: n-1 edições, 2019.

NABUCO, Joaquim. O abolicionismo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.

PÁEZ, Luis Daniel Pico. Coaching: Neoliberalismo y subjetividad. Nuevos mecanismos disciplinarios. In: MANZANO, Alfonso Rodríguez; SUÁREZ, Luz María Lozano (Orgs). Michael Foucault 30 años: Gubernamentalidad, Subjetivaciones, Escrituras de Sí. Barranquilla: Sello Editorial Universidad del Atlántico, 2018, p. 63-75.

RUCKSTADTER, Vanessa Campos Mariano. Educação e Economia nos anos 1990: a ressignificação da teoria do capital humano. 2º Seminário Nacional Estado e Políticas Sociais. Cascavel: UNIOESTE, 2005.

RÜDIGER, Francisco. Literatura de autoajuda e individualismo: contribuição ao estudo de uma categoria da cultura de massas. 2. ed. Porto Alegre: Gattopardo, 2010.

SENNETT, Richard. A cultura do novo capitalismo. 7. ed., Rio de Janeiro: Record, 2019.

SILVA, Mozart Linhares da. Ciência, raça e racismo na modernidade. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2009.

SILVA, Mozart Linhares da. População-sacer e democracia racial no Brasil. Revista Sociedade e Estado – Volume 32, Número 3, Setembro/Dezembro 2017.

SILVA, Mozart Linhares da. Necropolítica e violência racial no Brasil. In: BRAGA, Amanda; SÁ, Israel de (Orgs.). Por uma Microfísica das Resistências: Michel Foucault e as lutas antiautoritárias da contemporaneidade. Campinas: Ponte Editores, 2020, p. 275-304.

STANDING, Guy. O Precariado: a nova classe perigosa. Belo Horizonte: autêntica, 2017.

STEPAN, Nancy Leys. A hora da eugenia: Raça, gênero e nação na América Latina. Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2005.

VEIGA-NETO, Alfredo. Educação e governamentalidade neoliberal: novos dispositivos, novas subjetividades, 1999. Disponível em: http://www.lite.fe.unicamp.br/cursos/nt/ta5.13.htm.

VEIGA-NETO, Alfredo. Governamentalidade e educação. Revista Colombiana de Educación, 2013, (65), p. 19-41. Disponível em: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=413634077002. Acesso em: 30 out. 2020.

Downloads

Publicado

2022-06-23

Como Citar

da Silva, M. L. (2022). Educação e inclusão no contexto do “neoliberalismo conservador” no Brasil. Revista Brasileira De História &Amp; Ciências Sociais, 13(27), 149–166. https://doi.org/10.14295/rbhcs.v13i27.13530

Edição

Seção

Artigos Livres