Migrações venezuelanas, crise da reprodução social capitalista e necropolíticas de fronteira

Autores

  • Ana Carolina Gonçalves Leite Universidade Federal de Pernambuco
  • Mariana de Araújo Castro UFRJ

DOI:

https://doi.org/10.14295/rbhcs.v13i26.12824

Palavras-chave:

migrações venezuelanas; crise da reprodução social capitalista; gestão de populações.

Resumo

Nesse artigo, discutimos alguns aspectos das atuais migrações venezuelanas, chamadas também de diáspora venezuelana, relacionando-as à crise da reprodução social capitalistas e às necropolíticas engendradas por essa última. Para tanto, relacionamos tais migrações com o estouro da bolha que caracterizou o fim do boom das commodities e a crise mundial de 2008, que resultaram em uma brutal deterioração das condições de vida da população e ampliação da gestão armada da vida social na Venezuela; avançamos uma discussão crítica sobre os limites da distinção entre migrações forçadas e voluntárias; e observamos dimensões conflituosas do acolhimento recebido pelos venezuelanos no Brasil, levando em conta a gestão de populações e as políticas de fronteira. Para além do debate bibliográfico, da análise de documentos e matérias jornalísticas, sustentam ainda nossas reflexões, trabalhos de campo realizados pelas autoras a Roraima em 2019 e em 2020.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Carolina Gonçalves Leite, Universidade Federal de Pernambuco

Professora Adjunta do Departamento de Ciências Geográficas da UFPE.

Mariana de Araújo Castro, UFRJ

Mestra pelo programa de pós-graduação em Políticas Públicas em Direitos Humanos - NEPP DH UFRJ. Possui graduação em Defesa e Gestão Estratégica Internacional pela Universidade Federal do Rio de Janeiro

Referências

Bibliografia

ALESSI, Gil. Venezuelanos ganham força e cargos-chave no PCC em Roraima após “batismo” feito por liderança nacional, El país, Primeiro Comando da Capital, 2021. Disponível em: https://bit.ly/3ftClGC, acesso em: 18/03/2021.

AI. Anistia Internacional. O estado dos direitos humanos no mundo. Informe 2017/2018. 2019. Disponível em: https://bit.ly/3tYzbOZ, acesso em: 18/03/2021.

BARROS, Pedro Silva. O governo Chávez e desenvolvimento: a política em processo. Dissertação (Mestrado), Pontifícia Universidade Católica - PUC, São Paulo, SP, 2007.

______; PINTO, Luiz Fernando Sanná. A presença dos países do BRICS na Venezuela. Boletim de Economia e Política Internacional IPEA, n. 9, p. 101-115, 2012.

BELLUZZO, Luiz Gonzaga. O capital e suas metamorfoses. Campinas: Ed. UNESP, 2012.

CELAG. Centro Estratégico Latino-Americano de Geopolítica. Las consecuencias económicas del boicot a Venezuela. 2019. Disponível em: https://bit.ly/38ZZfBA, acesso em: 18/03/2021.

CHAGAS, Viktor; MICHELLE, Modesto; DANDARA, Magalhães. O Brasil vai virar Venezuela: medo, memes e enquadramentos emocionais no WhatsApp pró-Bolsonaro. Esferas, n. 14, p. 1-17, 2019.

CORREIA, Cyneida. Migrações de venezuelanas aumenta tráfico de mulheres na fronteira com o Brasil. Estado de São Paulo, Internacional. 2019. Disponível em: https://bit.ly/3fowzGh, acesso em: 18/03/2021.

COSTA, Emily. Ocupações crescem e mais de 1,3 mil venezuelanos vivem em prédios abandonados em Roraima. G1, Roraima, 2019. Disponível em: https://glo.bo/3u8Okxy, acesso em: 18/03/2021.

______; OLIVEIRA, Valéria. Sem nenhum garimpo legal, RR exportou 771 kg de ouro em 3 anos; vendas dobraram nos últimos 2 meses. G1, Roraima, 2019. Disponível em: https://glo.bo/3u7oOJ0, acesso em: 18/03/2021.

D’ERIZANS, Ricardo Guanipa. Crise econômica venezuelana: resultado de décadas de má gestão. Diálogo: Revista Militar Digital, 2019. Disponível em: https://bit.ly/3vOx0PO, acesso em: 18/03/2021.

FELDMAN-BIANCO, Bela. O Brasil frente ao regime global de controle das migrações: Direitos humanos, securitização e violências. Travessia, n. 83, p. 11-36, 2018.

FOLHA WEB. Quase 1.300 imigrantes foram retirados de ocupações espontâneas. Folha BV, Operação Acolhida, 2020. Disponível em: https://bit.ly/3frH8sf, acesso em: 18/03/2021.

FRANKLIN, Cleber Batalha. A crise na Venezuela e os desdobramentos para o Brasil. XVI Congresso Internacional FoMerco, UFBA, Salvador, 2017.

HAUSMANN, Ricardo. Intervenção militar estrangeira na Venezuela deve ser considerada. Folha de São Paulo, 2018. Disponível em: https://bit.ly/3s86XAO, acesso em: 18/03/2021.

IPEA. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. BRICS Academic Forum. 2019. Disponível em: https://bit.ly/3csDYlZ, acesso em: 18/03/2021.

KURZ, Robert. Imperialismo de exclusão e estado de excepção. Exit!, n. 13, p. 123-169, 2016. Disponível em: https://bit.ly/3dgc23P, acesso em: 18/03/2021.

______. Dinheiro sem valor. Lisboa: Ed. Antígona, 2014.

LEITE, Ana Carolina Gonçalves; GIAVAROTTI, Daniel Manzione. Padrão territorial e crise do trabalho: o confinamento como forma de territorialização das relações sociais capitalistas contemporâneas. Cuadernos de Geografía, v. 20, p. 32-50, 2020.

LISSARDY, Gerardo. Os EUA podem realmente invadir a Venezuela? BBC News, Mundo, 2019. Disponível em: https://bbc.in/3u2UI9y, acesso em: 18/03/2021.

LIY, Macarena. China e Venezuela: uma relação baseada em dívidas. El País, Internacional, 2019. Disponível em: https://bit.ly/3rtcIZ0, acesso em: 18/03/2021.

MBEMBE, Achille. Necropolítica. São Paulo: N-1 edições, 2018.

MENDONÇA, Heloísa. Com 40.000 venezuelanos em Roraima, Brasil acorda para sua “crise de refugiados”, El País, 2018a. Disponível em: https://bit.ly/3svBn0l, acesso em: 18/03/2021.

______. O “monstro da xenofobia” ronda a porta de entrada de venezuelanos no Brasil, El País, Êxodo Venezuelano, 2018b. Disponível em: https://bit.ly/3rCWpIS, acesso em: 18/03/2021.

MENEZES, Leilane; ESTRELA, Igo. Órfãs de terra-mãe. A saga das mulheres venezuelanas refugiadas no Brasil. Metrópoles, 2018. Disponível em: https://bit.ly/3fwn0Fd, acesso em 25/03/2021.

NUNES, Juliana Cézar. Governadora de Roraima determina controle da fronteira venezuelana. Agência Brasil, Política, 2018. Disponível em: https://bit.ly/3mcLcOf, acesso em 25/03/2021.

PAIVA, Ariane Rego de. Operação Acolhida entre a militarização e a assistência social. 8° Encontro Internacional de Política Social, Vitória, Espírito Santo, 2020.

PAIVA, Rafael Bianchini Abreu. A tragédia econômica venezuelana. Carta Capital, Conjunturando, 2017. Disponível em: https://bit.ly/3lCiLJk, acesso em: 18/03/2021.

PAULANI, Leda. Não há saída sem a reversão da financeirização. Estudos Avançados, v. 31, p. 29-35, 2017.

PITTA, Fábio; LEITE, Ana Carolina Gonçalves; KLUCK, Erick. O boom e o estouro da bolha das commodities no século XXI e a agroindústria canavieira brasileira: da mobilização à crise do trabalho. Revista NERA, v. 23, p. 41-63, 2020.

RAMALHO, Sérgio. Maior facção da Venezuela tem núcleo em solo brasileiro agindo em Roraima. UOL, Segurança Pública, 2019. Disponível em: https://bit.ly/3dgug5k, acesso em: 18/03/2021.

RODRIGUES, Thais. Sem foro, Pazuello passa a ser julgado pela Justiça Federal de Brasília. Congresso em foco, 2021. Disponível em: https://bit.ly/3ctlthp, acesso em: 18/03/2021.

ROMERO-CASTILLO, Evan. Militarização avança na Venezuela. Deutsche Welle, América Latina, 2014. Disponível em: https://bit.ly/3daKH30, acesso em: 18/03/2021.

SANTOS, Fabio Luis Barbosa. Uma história da onda progressista sul-americana (1998-2016). São Paulo: Elefante, 2019.

SARDINHA, Edson. Brasil pode virar Venezuela em um ano e meio, diz Guedes. Congresso em foco, Economia, 2020. Disponível em: https://bit.ly/3fh5cxT, acesso em: 18/03/2021.

SCHURSTER, Karl; ARAUJO, Rafael. A Venezuela entre 1989 e 2013: crises, rupturas e continuidades. In: SCHURSTER, Karl; ARAUJO, Rafael (Org.). A era Chávez e a Venezuela no tempo presente. Rio de Janeiro: Autografia/Edupe, 2015.

TRIPATHI, Anurag; SB, Girisanker. A rivalidade de recursos dos EUA e da Rússia no contexto da crise venezuelana contemporânea: os perigos do rentier petro-state. Austral. Brazilian Journal of Strategy & International Relations, v. 9, p. 92-110, 2020.

UZCÁTEGUI, Rafael. Venezuela, imperialismo e militarização. Open Democracy, Democracia abierta, 2020. Disponível em: https://bit.ly/3lRNe6d, acesso em: 18/03/2021.

______. Corrida armamentista ou modernização de armamentos na América do Sul: estudo comparativo dos gastos militares. Estudos e Cenários, Observatório Político Sul-Americano. Rio de Janeiro: Iuperj, 2008.

VAZ, Alcides Costa. A crise venezuelana como fator de instabilidade regional. Análise Estratégica CEEEx, v. 3, 2017.

VIANA, Natalia. A desastrosa Operação do Exército que levou a morte Evaldo Rosa. UOL, Notícias, 2020. Disponível em: https://bit.ly/3lWcN6h, acesso em: 18/03/2021.

VILLA, Rafael Duarte. Venezuela: mudanças políticas na era Chávez. Estudos Avançados, v. 19, p. 153-172, 2005. Disponível em: https://bit.ly/3tGFXZF, acesso em: 18/03/2021.

ZANINI, Fábio. Candidatos a prefeito em Boa Vista usam retórica anti-venezuelanos em campanha. Folha de São Paulo, Mundo, 2020. Disponível em: https://bit.ly/3cCCnKg, acesso em: 18/03/2021.

ZUKER, Fábio. Brasileiros e venezuelanos: uma crônica de ódio e compaixão. Agência Pública, Crônica, 2018. Disponível em: https://bit.ly/3cxm01M, acesso em: 18/03/2021.

ZERO, Marcelo. Para entender a Venezuela. Carta Capital, Brasil Debate, 2017. Disponível em: https://bit.ly/3tGFXZF, acesso em: 18/03/2021.

WEISBROT, Mark; SACH, Jeffrey. Sanções Econômicas como Punição Coletiva: O Caso da Venezuela. Center for Economic and Policy Research, maio de 2019. Disponível em: https://bit.ly/3s87hj0, acesso em: 18/03/2021.

Downloads

Publicado

2021-11-19

Como Citar

Gonçalves Leite, A. C., & Castro, M. de A. (2021). Migrações venezuelanas, crise da reprodução social capitalista e necropolíticas de fronteira. Revista Brasileira De História &Amp; Ciências Sociais, 13(26), 73–103. https://doi.org/10.14295/rbhcs.v13i26.12824