<b>Variação sazonal na composição centesimal e reprodução do bivalve de areia <i>(Anomalocardia brasiliana) </i> da Reserva Extrativista Marinha do Pirajubaé, Florianópolis/SC<b>

Autores

  • Mariana Vincenzi Aveiro Universidade Federal de Santa Catarina
  • Aimê Rachel Magenta Magalhães Universidade Federal de Santa Catarina
  • Vera Lúcia Cardoso Garcia Tramonte Universidade Federal de Santa Catarina
  • Ana Lúcia Carneiro Schaefer Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5088/atlântica.v33i1.2674

Palavras-chave:

Composição centesimal, reprodução, bivalve de areia, Anomalocardia brasiliana

Resumo

O objetivo deste trabalho foi determinar a composição centesimal e fase sexual do bivalve de areia Anomalocardia brasiliana, proveniente da Reserva Extrativista Marinha de Pirajubaé (REMAPI) de Florianópolis/SC, em dois períodos do ano (outono e primavera). O sexo e fase do ciclo reprodutivo em que os animais se encontravam foram determinados através de procedimentos histológicos, que incluíram fixação em Davidson, corte de 5 µm e coloração Hematoxilina de Harris e Eosina. A determinação da composição centesimal das amostras da carne desidratada foi feita em triplicata, seguindo os métodos das Normas Analíticas do Instituto Adolfo Lutz e Association of Official Analytical Chemists. Os resultados obtidos para os teores de umidade (84,1 e 83,1g%), proteínas (8,3 e 9,3g%), lipídios (0,7 e 1,2g%), carboidratos (4,4 e 3,9g%) e cinzas (2,5g%) para as coletas de primavera e outono, respectivamente, indicam que existe uma variação sazonal significativa nos teores de proteínas e lipídios. Estes alcançaram os maiores valores no outono, coincidindo com uma maior reserva energética para a fase de gametogênese. A determinação da fase reprodutiva mostrou-se importante, pois esses animais sésseis necessitam grande investimento de energia para a reprodução.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariana Vincenzi Aveiro, Universidade Federal de Santa Catarina

Possui graduação em nutrição pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (2003), graduação em gastronomia pela Universidade do Sul de Santa Catarina (2006), mestrado em Nutrição pela Universidade Federal de Santa Catarina (2007). Atualmente, é chef Patissiere e cake design na cidade do México.

Aimê Rachel Magenta Magalhães, Universidade Federal de Santa Catarina

Possui graduação em Ciências Biológicas, Licenciatura curta, plena e bacharelado pela Universidade de São Paulo (1978), mestrado em Ciências (Fisiologia Geral) pela Universidade de São Paulo (1986) e doutorado em Ciências (Fisiologia Geral) pela Universidade de São Paulo (1998). É Professora (Associada II) da Universidade Federal de Santa Catarina, lotada no Centro de Ciências Agrárias, Departamento de Aquicultura. Atualmente é subcoordenadora do Curso de Graduação em Engenharia de Aqüicultura.

Vera Lúcia Cardoso Garcia Tramonte, Universidade Federal de Santa Catarina

Possui graduação em Ciências Biológicas pela (FFCLRP/Universidade de São Paulo)(1976), mestrado em Ciências (Genética) pela FMRP/Universidade de São Paulo (1985) e doutorado em Ciências dos Alimentos (Nutrição Experimental) pela Universidade de São Paulo (1995)

Ana Lúcia Carneiro Schaefer, Universidade Federal de Santa Catarina

Possui graduação em Biologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (1992) e mestrado em Aquicultura pela Universidade Federal de Santa Catarina (2000). Faz parte do Núcleo de Estudos em Patologia Aquícola da Universidade Federal de Santa Catarina. Atualmente está cursando o doutorado na área de Aquicultura (patologias de mexilhões Perna perna)

Downloads

Publicado

2012-08-07

Como Citar

Aveiro, M. V., Magalhães, A. R. M., Tramonte, V. L. C. G., & Schaefer, A. L. C. (2012). &lt;b&gt;Variação sazonal na composição centesimal e reprodução do bivalve de areia &lt;i&gt;(Anomalocardia brasiliana) &lt;/i&gt; da Reserva Extrativista Marinha do Pirajubaé, Florianópolis/SC&lt;b&gt;. Atlântica (Rio Grande), 33(1), 5–14. https://doi.org/10.5088/atlântica.v33i1.2674

Edição

Seção

Artigos