Leitura sintomal: aproximações entre psicanálise e materialismo histórico dialético em Althusser<br>Lecture symptomal: approches entre la psychanalyse et la théorie du matérialisme historique dialectique chez Althusser

Main Article Content

Samuel Santos da Rosa
Marta D'Agord

Resumo

Este trabalho tem por objetivo investigar a questão do paralelo entre psicanálise e materialismo histórico dialético na obra do filósofo francês Louis Althusser (1918-1990). A partir da concepção de corte ou ruptura epistemológica, Althusser mostra a ruptura com a Economia política clássica em Marx e a ruptura com a Psicologia pela Psicanálise. Segundo essa leitura, Marx desvelou o sintoma como o que desmentia um pretendido universalismo, assim como Freud escutou a mensagem inconsciente cifrada nos sintomas histéricos. Como resultado de nossa investigação, concluímos que o projeto althusseriano considera a Psicanálise e a Crítica econômica de Marx como permanentemente “ciências conflituosas”. Em nossa avaliação, podemos ler ambas as ciências como projetos abertos em permanente produção.


 


Résumé


Ce travail vise à rechercher sur la question du parallèle entre la psychanalyse et le materialisme historique dialectique dans l'œuvre du philosophe français Louis Althusser (1918-1990). A partir de la conception d'une coupure ou rupture épistémologique, Althusser montre la rupture avec l'économie politique classique chez Marx et la rupture avec la psychologie à travers la psychanalyse. Selon cette lecture, Marx a dévoilé le symptôme comme niant un prétendu universalisme, tout comme Freud écoutait le message inconscient encodé dans les symptômes hystériques. À la suite de notre enquête, nous concluons que le projet althussérien considère la psychanalyse et la critique économique de Marx comme des «sciences en conflit permanent». Dans notre évaluation, nous pouvons lire les deux sciences comme des projets ouverts en production permanente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Rosa, S. S. da, & D’Agord, M. (2021). Leitura sintomal: aproximações entre psicanálise e materialismo histórico dialético em Althusser&lt;br&gt;Lecture symptomal: approches entre la psychanalyse et la théorie du matérialisme historique dialectique chez Althusser. Deslocamentos/Déplacements: Revista Franco-Brasileira Interdisciplinar De psicanálise E Ciências Sociais, 2, 94–129. Recuperado de https://seer.furg.br/des/article/view/13000
Seção
Artigos/Article
Biografia do Autor

Samuel Santos da Rosa, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, Porto Alegre, Brasil.

Estudante de Graduação em Psicologia na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre. Brasil.

Marta D'Agord, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, Porto Alegre, Brasil.

Possui Graduação em Psicologia, Mestrado em Filosofia (1994) e Doutorado em Psicologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2000) com estágio na França (Univ. Rennes I). É Professora titular no Instituto de Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Coordenadora do PPG em Psicanálise: Clínica e Cultura (2014-2018). Bolsista PQ Produtividade em Pesquisa (PQ/2). Líder do Grupo de pesquisa Laboratório de Psicanálise do Diretório dos Grupos de Pesquisa do CNPq. Participa do GT-ANPEPP: Psicanálise, Política e Cultura. Membro da Associação Universitária de Pesquisa em Psicopatologia Fundamental. Editora associada da seção Resenhas Bibliográficas da Revista Latino-americana de Psicopatologia Fundamental. Desde 2008, desenvolve o Projeto Wikipedia Psicopatologia junto com estudantes de graduação em Psicologia. Pesquisa os aportes da Topologia, da Lógica e da Literatura para a Psicanálise e Psicopatologia.

Referências

Althusser, L. (2018). Por Marx. Campinas: Editora UNICAMP.

Althusser, L. (1987). Ler o capital vol 1, Rio de Janeiro: Zahar.

Althusser, L. (1980a). Ler o capital vol 2. Rio de Janeiro: Zahar.

Althusser, L. (1985). Freud e Lacan, Marx e Freud. 2. Ed. Rio de Janeiro: Graal.

Althusser, L. (2000). Posições I. Rio de Janeiro: Graal.

Althusser, L. (1980b). Posições II. Rio de Janeiro: Graal.

Althusser, L. (1964). Psicoanálisis y ciencias humanas. Buenos Aires: Nueva Visión.

Althusser, L. (1968). Filosofia e ciência humanas. Rio de Janeiro: Graal.

Althusser, L (1967). O Marxismo segundo Althusser. São Paulo: Editora Sinal.

Askofaré, S. (1997). O sintoma social, In R. Goldenberg (Org.). Goza! capitalismo, globalização e psicanálise. Salvador (Ba.): Ágalma, pp. 164-189.

Badiou, A. (1976). Materialismo histórico e materialismo dialético. São Paulo: Global.

Bachelard. G. (2006). A epistemologia. Lisboa: Edições 70.

Bachelard. G. (2005). A formação do espírito científico: Contribuição para uma psicanálise do conhecimento. Rio de Janeiro. Contraponto.

Evangelista, W. J. (1985). Althusser e a Psicanálise, Introdução crítico-histórica. In L. Althusser. Freud e Lacan. Marx e Freud. 2.ed. pp. 9-38. Rio de Janeiro: Graal.

Freud, S. (2012). A interpretação dos sonhos. (1900). Porto Alegre: L&PM.

Freud, S. (2017). O chiste e sua relação com o inconsciente, In Obras Completas. São Paulo: Companhia das Letras.

Gillot, P. (2018). Althusser e a Psicanálise. São Paulo: Ideias e Letras.

Goldenberg, R. (Or.) (1997). Goza! capitalismo, globalização e psicanálise. Salvador (Ba.): Ágalma.

Goldenberg, R. (2018). Desler Lacan. São Paulo: Instituto Langage

Gomez. L. E. (2019) Lacan con Althusser: un diagnostico epistemológico de situación. Buenos Aires. El Rey está desnudo, 15, 85-95.

Lacan, J. (1998a). D sujeito enfim em questão, In Escritos, pp.229-237. Rio de Janeiro: Zahar.

Lacan, J. (1998b). A ciência e a verdade, In Escritos, pp.869-892. Rio de Janeiro: Zahar.

Lacan, J. (1979). O Seminário, livro XI: Os quatro conceitos fundamentais (1964). Rio de Janeiro: Zahar.

Lacan. J (2008). O seminário, livro XVI: De um Outro ao outro (1968-1969). Rio de Janeiro: Zahar.

Lacan. J (1974-1975). Le Seminaire, XXII: R.S.I (1974-1975). Recuperado em 20 de fevereiro, 2021, de http://staferla.free.fr.

Lima, M. A. M e Martinelli, M. (2011) A epistemologia de Gaston Bachelard: uma ruptura com as filosofias do imobilismo. Florianópolis. Revista de Ciências Humanas, volume 45 (2), 393-406.

Marx, K. (2013) O Capital. vol. 1. São Paulo: Boitempo.

Marx. K. (2007) A ideologia Alemã. São Paulo: Boitempo.

Roudinesco, E. (1988). História da Psicanálise na França. V. 2 (1925-1985). Rio de Janeiro: J. Zahar.

Stavrakakis, Y. (2007). The Lacanian Left: Psychoanalysis theory politics. Edinburgh: Edinburgh University Press.

Tupinambá, G. (2019). Depois da não-relação: pensar a compossibilidade entre psicanálise e marxismo após 2017, Teoría y Crítica de la Psicología, 13 (2019).

Zizek, S. (1991). O mais sublime dos histéricos. Hegel com Lacan. Rio de Janeiro: J. Zahar. (Originalmente publicado em 1988).

Zizek, S. (1992). Eles não sabem o que fazem: o sublime objeto da ideologia. Rio de Janeiro: J. Zahar. (Originalmente publicado em 1990).

Zizek, S. (2016). O sujeito incômodo. São Paulo: Boitempo.

Zizek, S. (Org.) (2017). Um mapa da ideologia. Rio de Janeiro. Contraponto.