“TU NÃO TÁ VENDO QUE A SORA É SAPATONA?”:

CARREIRA DOCENTE, CULTURA ESCOLAR E APRENDIZAGENS EM TORNO DE GÊNERO E SEXUALIDADE

Autores

  • Renata Cieslak UFRGS Programa de Pós Graduação em Educação
  • Fernando Seffner Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS. RG/RS - BRASIL

DOI:

https://doi.org/10.14295/de.v9i2.13574

Resumo

O artigo aborda um conjunto de situações e questões próprias da cultura escolar, derivadas da presença de professoras e professores LGBTQIA+, bem como de alunos, alunas e alunes que igualmente são vistos como corpos dissidentes. Com dados colhidos em dois projetos de pesquisa, mostramos as interações e a produção da diferença nos temas em gênero e sexualidade. Tomamos a cultura escolar tanto como lugar de tentativas de reiteração da heteronormatividade, como território de possibilidades de transgressão e aliança que modificam a norma. Consideramos a importância das alianças e parcerias na escola no sentido de assegurar a abordagem dos temas em gênero e sexualidade na formação educacional pública, como componentes chave na constituição da cidadania em uma sociedade que se deseja democrática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renata Cieslak, UFRGS Programa de Pós Graduação em Educação

Doutoranda em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, na Linha de Pesquisa Educação, Sexualidade e Relações de Gênero. Mestra em Artes Cênicas pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) da Universidade Nova de Lisboa. Graduada em Teatro, com ênfase em Interpretação Teatral, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Fernando Seffner, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS. RG/RS - BRASIL

Professor da FACED/UFRGS.

Mais informações: Currículo Lattes

Downloads

Publicado

2022-01-28

Como Citar

Cieslak, R., & Seffner, F. (2022). “TU NÃO TÁ VENDO QUE A SORA É SAPATONA?”:: CARREIRA DOCENTE, CULTURA ESCOLAR E APRENDIZAGENS EM TORNO DE GÊNERO E SEXUALIDADE. Diversidade E Educação, 9(2), 66–91. https://doi.org/10.14295/de.v9i2.13574

Edição

Seção

Corpos em dissidência nos espaços educativos em tempos de discurso de ódio