ESCREVIVÊNCIAS DAS JUVENTUDES NEGRAS E LGBTQI+

FONTES EDUCATIVAS PARA REINVENTAR ESCOLAS E DOCÊNCIAS

Autores

  • Francisco André Martins Faculdade de Educação UEMG
  • Cirlene Sousa Faculdade de Educação - UMEG
  • Liliane Souza Faculdade de Educação - UMEG

DOI:

https://doi.org/10.14295/de.v9i2.12548

Resumo

Este artigo apresenta debates e reflexões sobre o ser e o fazer docente vivenciados por um grupo de professores e professoras na execução do projeto de extensão universitária denominado “Escritas Juvenis”. As cartas foram utilizadas na formação de professores mineiros e professoras mineiras através de oficinas que tinham como objetivos sensibilizar e formar docentes conscientes dos problemas, conflitos e obstáculos enfrentados na realidade escolar pelas juventudes brasileiras. Duas vinculações teóricas se destacam: o conceito de Escrevivências da escritora e literata brasileira Conceição Evaristo e o conceito de Educação Decolonial do escritor e educador brasileiro Paulo Freire e do filósofo argentino Enrique Dussel, entre outros. Nas considerações finais, destaca-se a urgência de se compreender a pluralidade das experiências e diversidades discentes e docentes presentes na educação básica.  E, fundamentalmente, desenvolver ações extensionistas que sejam capazes de educar a comunidade escolar para a complexidade da tríade escola, formação docente e processos de desumanização e invisiblização de estudantes negros, negras e LGBTQI+.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cirlene Sousa, Faculdade de Educação - UMEG

Professora efetiva Faculdade de Educação UEMG

Liliane Souza, Faculdade de Educação - UMEG

Professora Efetiva Faculdade de Educação UEMG

Downloads

Publicado

2022-01-28

Como Citar

Martins, F. A., Sousa, C. ., & Souza, L. . (2022). ESCREVIVÊNCIAS DAS JUVENTUDES NEGRAS E LGBTQI+: FONTES EDUCATIVAS PARA REINVENTAR ESCOLAS E DOCÊNCIAS. Diversidade E Educação, 9(2), 668–694. https://doi.org/10.14295/de.v9i2.12548