A NARRATIVA DA EU EM O QUE DEU PARA FAZER EM MATÉRIA DE HISTÓRIA DE AMOR, DE ELVIRA VIGNA

Autores

  • Lisiane Andriolli Danieli Universidade Federal do Rio Grande (FURG)

Resumo

Este artigo tem como o objetivo de refletir acerca da modalidade narrativa em primeira pessoa, historicamente identificada com a autoria de mulheres, a partir da análise do livro O que deu para fazer em matéria de história de amor (2012), da carioca Elvira Vigna (1947-2017), na medida que a narradora e suas vivências afetivo-sexuais estão evidenciadas na obra. Para compreensão do tema e aprofundamento de questões, as principais teorias adotadas sobre foco narrativo partem de Maria Lúcia Dal Farra (1975) e Biruté Ciplijauskaité (1994). A leitura crítica e analítica da obra de Vigna sugere transgressões sociais das personagens e explicita a desconfiança a se ter de uma narradora protagonista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-12-20

Como Citar

Andriolli Danieli, L. . (2021). A NARRATIVA DA EU EM O QUE DEU PARA FAZER EM MATÉRIA DE HISTÓRIA DE AMOR, DE ELVIRA VIGNA. Cadernos Literários, 28(1), 67–80. Recuperado de https://seer.furg.br/cadliter/article/view/13848

Edição

Seção

Artigos