Chamada para os Cadernos Literários - v. 30, n. 2 - 2022

2022-07-19

Envio de textos: entre 19 de julho e 30 de setembro de 2022, por meio do sistema de submissão da página eletrônica da revista. Previsão de publicação do dossiê temático: dezembro de 2022.

 

Literatura de autoria de mulheres

Organizadoras: Profa. Dra. Eliane Campello (FURG) e Profa. Dra. Rosana Cássia dos Santos (UFSC/CNPq)

Neste número, queremos dar ênfase à “Escrita feminina”, uma das linhas de pesquisa do Programa de Pós-graduação em Letras – História da Literatura, da Universidade Federal do Rio Grande (FURG). Nosso intuito é o de instigar a reflexão crítica no campo da produção literária de autoria de mulheres. As autoras estudadas podem ser de qualquer tempo e de qualquer nacionalidade e as obras sob análise podem ser vinculadas a qualquer dos gêneros literários. O cânone literário estabelecido com base em valores oriundos da produção de homens brancos, especialmente, vem sendo abalado, cada vez com mais intensidade, pela produção de mulheres de variadas etnias, gêneros e classes sociais, nacionalidades, sexualidade e crenças religiosas. A pauta atual é a diversificação, a interseccionalidade, a resistência, a ruptura e a desconstrução de verdades hipotéticas preestabelecidas. Na medida em que narrativas e poemas até então silenciadas/os pela história da literatura dita oficial, apenas devido ao fato de terem sido escritas/os por mulheres, vêm à tona, via o processo analítico é que se desvela a transgressão e a consequente reversão do cânone.  Nessa perspectiva, é produtivo buscar, na produção ficcional de mulheres, as singularidades temáticas e estéticas, bem como estabelecer o diálogo entre experiência de vida, identidade e (in)(ex)clusão. São inúmeros os lugares de fala e as vozes: tendem ao infinito as significações explícitas e as por serem desveladas. Impossível pensar em uniformidade dos textos literários de autoria feminina. Por esta razão, sugerimos algumas possibilidades de abordagens a narrativas, poesias, slams etc., com relação a tradições escritas e orais, expressões do corpo, processos decoloniais, resistência, transfeminismos, traumas e autorrepresentação. As produções literárias de autoria feminina serão, certamente, (re)avaliadas com honestidade e competência pela alta qualidade da exegese das/os colaboradoras/es neste número dos Cadernos Literários.